Genética não é destino 2.0: Segunda edição será 100% online e gratuita

Arte editada, com fotos e o texto: “Genética Não É Destino 2.0”. Na sequência, o slogan: “Desconstruindo preconceitos, construindo soluções”. Descrição detalhada na legenda.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Arte com fotos e o texto: “Genética Não É Destino 2.0”. Na sequência, o slogan: “Desconstruindo preconceitos, construindo soluções”. Mais abaixo, a informação: “100% online e gratuito”. Dias 21 e 22 de agosto. Na lateral esquerda está a foto de um jovem, de pele branca e cabelos curtos castanhos claros. Ele tem síndrome de Down, usa terno e gravata em tons de azul e óculos de grau. Na lateral direita está a foto de uma mulher com deficiência física, cabelos castanhos longos, usando blusinha rosa. No rodapé estão os logotipos dos realizadores: Instituto Cromossomo21 e Instituto Serendipidade. Correalizadores: Hospital Albert Eistein, Bayer Brasil e Ambipar Group. Apoio: Instituto Alana, EspaçoLaser, Muleke Muleka, Dipromed SP, 36zeroentertainment e Semearhis. Créditos: Divulgação/Editado

Congresso Online de Inclusão: ‘Desconstruindo preconceitos, construindo soluções’

Estão abertas as inscrições para o congresso Genética não é destino 2.0, que acontece nos dias 21 e 22 de agosto, com a participação de mais de 30 especialistas na área da inclusão e diversidade

Estão abertas as inscrições para o maior Congresso online do Ecossistema Inclusivo do Brasil – Genética não é destino 2.0. Nos dias 21 e 22 de agosto, mais de 30 especialistas na área da inclusão e diversidade, se apresentam na segunda edição do evento, evidenciando a necessidade de desconstruir o preconceito, para construir um futuro diverso.

Publicidade

“A desconstrução é o esforço para combater estereótipos e preconceitos que carregamos dentro de nós. É quebrar o conjunto de barreiras morais e culturais que nos impede de aceitar as diferenças, e enxergar soluções e benefícios no processo inclusivo”, conforme o texto enviado à imprensa.

Na primeira edição, em 2020, o Congresso online Genética não é destino foi considerado o maior evento inclusivo do país, e abriu um formato inovador de discussão e mentoria totalmente online e gratuito. A cada iniciativa e ação que tomamos, o capacitismo, racismo, homofobia e outras formas de preconceitos podem ser combatidos, evitando a opressão e a criação de ambientes de resistência, que gera violência velada ou consciente.

Dessa forma, a segunda edição do Congresso deseja lançar luzes para construir um mundo diferente nas próximas gerações, através de estratégias e conhecimento prático, que ajude você a transformar sua mentalidade frente às diferenças.

Serão dois dias de evento, transmitido em estúdio de televisão, com dinâmica de interação entre os participantes e os mentores. A programação será dividida em dois dias. O primeiro será dedicado a desconstrução dos nossos preconceitos, como identificar fragilidades e desconfortos que carregamos de forma inconsciente. Estão entre os palestrantes, nomes como do filósofo prof. Mario Sergio Cortella e do médico Fábio Watanabe, do Hospital Israelita Albert Einstein.

Arte editada, com fotos e o texto: “Genética Não É Destino 2.0”. Na sequência, o slogan: “Desconstruindo preconceitos, construindo soluções”. Descrição detalhada na legenda.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Arte com fotografia com o texto, no canto esquerdo superior: “Genética Não É Destino 2.0”. Na sequência, o slogan: “Desconstruindo preconceitos, construindo soluções”. Mais abaixo, a informação: “100% online e gratuito”. Dias 21 e 22 de agosto. A imagem é de um homem com deficiência física, pele branca e cabelos castanhos curtos. Usa camisa xadrez e calça escura, está sorrindo com as mãos na cintura. No rodapé tem uma faixa vermelha. Créditos: Divulgação/Editado

Familiares de pessoas com deficiências também vão dividir suas experiências. A pedagoga Ana Carol Resende, mãe de um menino com paralisia cerebral, levará uma provocação ao público: “Meu filho precisa de conserto?”. Já Débora Goldzveig, gerente do Instituto Serendipidade, vai contar sobre o que é ter um irmão com deficiência. No mesmo dia, Alex Duarte, idealizador do evento, lançará o livro “Capacitista em Desconstrução”.

O segundo dia do evento será para construir novas atitudes, narrativas, ações práticas e positivas para desenvolver uma mentalidade inclusiva. Entre os participantes estão a influenciadora e humorista Pequena Lô e Mariana Torquato, criadora de canal sobre deficiência no YouTube.

Já para falar da importância da inclusão nas empresas, foram chamados Henri Zylberstajn, fundador do Instituto Serendipidade e da Escola de Impacto, que irá destacar a importância da cultura ESG, e Fernando Bracconot, do Carrefour Brasil, que discutirá sobre o papel da diversidade na mudança da cultura organizacional no mundo corporativo. Luciana Viegas abordará um duplo preconceito com a palestra “Onde estão as pessoas pretas com deficiências?”. Já o ator, diretor e roteirista Victor di Marco chamará a atenção para a questão dos gays com deficiências.

A inscrição para o Congresso é totalmente gratuita, e todos os inscritos terão acesso a informação de maneira acessível, prática e descomplicada, ou seja, a teoria transformada em aulas inovadoras, com provocações e desafios que possibilitem romper posicionamentos limitadores diante das pessoas com deficiência, identidade de gênero e etnia.

O evento é uma realização do Instituto Cromossomo 21 e Instituto Serendipidade e co-realização do Hospital Albert Eistein, Bayer Brasil e Ambipar Group.

Para fazer a inscrição, basta acessar o link: https://geneticanaoedestino.org/#inscricao

Deixe um comentário