fbpx

Dia Nacional de Combate ao Glaucoma 2021: CBO alerta

Fotografia de mulher negra usando máscara hospitalar, com descrição, ilustrando o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma 2021.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Capa da reportagem sobre o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma 2021 é a fotografia do rosto de uma mulher negra. Ela tem os cabelos pretos crespos, usa máscara hospitalar azul, e seu olho direito apresenta sinais da doença, com a retina esbranquiçada. Créditos: Shutterstock/ Edição JI

Utilize os recursos de Acessibilidade Digital da EqualWeb clicando no botão redondo flutuante, na barra da lateral esquerda. Para a tradução em Libras, acione o intérprete virtual da Hand Talk , no ícone quadrado à direita. Para ouvir o texto com Audima utilize o player de narração abaixo.

Na pandemia, total de exames de diagnóstico de glaucoma cai 30% e eleva riscos que podem levar à cegueira

Neste 26 de maio, Dia Nacional de Combate ao Glaucoma 2021, Conselho Brasileiro de Oftalmologia alerta para queda de exames de diagnóstico e o impacto nas cirurgias para reverter e tratar a doença

Hoje, 26 de maio é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma, doença que afeta os olhos e pode levar à cegueira. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS ), cerca de 64 milhões de pessoas em todo o mundo tenham algum tipo de deficiência visual devido à doença. Nesse grupo, 6,9 milhões de pessoas apresentam dificuldade de visão moderada, grave ou total (cegueira), resultante das formas mais graves do glaucoma.

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE 

De acordo com levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE ), divulgado em dezembro de 2019, há mais de 6,5 milhões de brasileiros com algum tipo de deficiência visual. Deste total, 600 mil pessoas são cegas. Mas esses números podem aumentar de forma preocupante, diante a realidade da pandemia causada pelo coronavirus, como mostra o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO).

Desde 2020, as restrições para receber pacientes em hospitais, a transferência de leitos para o tratamento da COVID-19 e o medo de pacientes de procurar ajuda médica por conta da pandemia derrubaram o número de exames para detecção precoce da principal causa de cegueira evitável no mundo: o glaucoma. Dados levantados pelo CBO, com o suporte da consultoria 360° CI, indicam queda de quase 1,6 milhão de exames com essa finalidade diagnóstica somente no Sistema Único de Saúde (SUS).

Essa queda prejudicou a investigação de possíveis casos novos da doença, contribuindo para o atraso no tratamento, e o acompanhamento de situações confirmadas, que exigem monitoramento para evitar seu agravamento. “Um dos grandes desafios no diagnóstico do glaucoma é que nem sempre apresenta sintomas. Por isso, alertar sobre o assunto é sempre muito importante e buscar um oftalmologista para examinar os olhos é fundamental”, explica José Beniz Neto, presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia.

Medico mostrando cartão com a palavra Glaucoma.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Profissional da saúde, vestindo jaleco branco e luva descartável azul, mostra um cartão com a palavra em caixa alta: GLAUCOMA. Em segundo plano, se vê um estetoscópio pendurado no pescoço dessa pessoa, usando camisa azul e gravata. As bordas da foto estão escurecidas, como sintomas dessa doença. Créditos: Shutterstock/ Edição JI

Segundo ele, os números refletem o afastamento dos pacientes das unidades de saúde durante a pandemia, o que pode prejudicar o cenário da saúde ocular no Brasil no futuro. Os dados são divulgados pela entidade médica às vésperas da realização do projeto 24 horas pelo glaucoma, organizado pelo CBO, em 22 de maio (sábado).

A intenção é sensibilizar para importância da prevenção e do tratamento precoces contra a doença. “O glaucoma pode ser motivo de perda visual irreversível, isso porque quando a pressão intraocular aumenta – principal causa da doença – o nervo óptico é lesionando, levando à diminuição do campo visual”, conta Cristiano Caixeta Umbelino, vice-presidente do Conselho. “É como se o cabo de transmissão de informações de uma câmera para o computador fosse danificado (função do nervo ótico)”, exemplifica.

Prevenção

De acordo com o levantamento do CBO, oito tipos diferentes de exames realizados no SUS são utilizados pelos oftalmologistas para diagnosticar o glaucoma. Quatro deles são específicos para casos suspeitos (campimetria computadorizada ou manual com gráfico; curva diária de pressão ocular (CDPO); gonioscopia; e o teste de provocação de glaucoma).

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE 

Outros quatro podem diagnosticar não só o glaucoma, mas também outras doenças da visão: mapeamento de retina; retinografia colorida binocular; retinografia fluorescente binocular; e tomografia de coerência óptica. De acordo com a análise do CBO, em 2019, a produção desses exames na rede pública chegou a 5,9 milhões de procedimentos. Durante a pandemia, no entanto, essa produção em nível nacional teve uma queda de 27%. Em oito estados, a redução superou os 50%.

Confira os números por tipo de procedimento aqui , ou pelo link: http://www.i-mpr.com/s/0519/e9.png

Pessoa sendo examinada no oftalmologista. Descrição na legenda, pelo Dia Nacional de Combate ao Glaucoma 2021.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Fotografia de pessoa branca, com cabelos grisalhos, sendo examinada. Ela tem um dos abertos pela mão do profissional que a examina no equipamento. As bordas da foto estão escurecidas, como sintomas dessa doença. Créditos: Shutterstock/ Edição JI

Distribuição

Ao avaliar os números do Sistema de Informações Ambulatoriais do SUS, o CBO identificou que, em 2020, a redução de exames preventivos para glaucoma afetou todas as Regiões brasileiras. Em valores absolutos, o impacto foi mais sensível em São Paulo (348,6 mil a menos), Bahia (-202,4 mil) e Rio Grande do Sul (-122,5 mil). Em termos percentuais, a redução foi mais significativa no Amazonas (-67%), Piauí (-67%) e Acre (-64%).

Nas capitais, a quantidade de exames também diminuiu 542.238 nas capitais, o que representa uma redução de 33%, se comparado ao ano anterior. “Os números revelam que o descuido com a saúde aumentou durante o período de pandemia, tanto na prevenção com idas ao médico para acompanhamento das doenças e prevenção pelos exames, como pelos cuidados com uma vida mais saudável”, ressaltou Beniz Neto.

Mulher com tampão no olho, em pós-operatório, com descrição na legenda.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Fotografia em ambiente interno, mostra uma mulher em período pós-cirurgia. Ela tem cabelos pretos curtos, pela amarela e usa tampão em no olho direito. Usa pulseira de identificação e roupa azul, de paciente hospitalar. No canto esquerdo superior, selo circular nas cores branca e azul dizendo: Fique em casa, lave as mãos. Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO). As bordas da foto estão escurecidas, como sintomas dessa doença. Créditos: Shutterstock/ Edição JI

Ainda segundo o levantamento, todas as faixas etárias tiveram redução no número de exames. Entre o público com mais de 60 anos, a queda foi de 700 mil exames. Na faixa que vai entre 20 e 59 anos, a redução foi de 551,5 mil exames em 2020. Entre crianças e adolescentes, o impacto foi de 168,7 mil procedimentos. Entre os pacientes do sexo feminino, a redução foi de 29% nos exames preventivos, enquanto no sexo masculino a queda foi de 25%.

Confira o número de exames por estado aqui , ou pelo link: http://www.i-mpr.com/s/0519/ed.png

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE 

Tratamento em queda

Pelo menos 6,5 mil cirurgias que são indicadas pelos oftalmologistas para tratar ou reverter o glaucoma também deixaram de ser realizadas no SUS em 2020. A queda, segundo números analisados pelo CBO, foi de 22%. Com a flexibilização do isolamento social na maior parte do País e a retomada das operações, os oftalmologistas temem alta expressiva da demanda e pacientes com a doença em estágio agravado.

“O maior problema é o agravamento da condição dos pacientes, que pode ter consequências irreversíveis”, aponta Caixeta Umbelino. “O sistema público já tem filas enormes de atendimento. Com o represamento das cirurgias, infelizmente haverá aumento das filas”, avalia.

Foram analisados quatro tipos diferentes de cirurgias realizadas no SUS e que são utilizadas para tratamento do glaucoma: iridectomia cirúrgica, iridotomia a laser, trabeculectomia e fototrabeculoplastia a laser. De acordo com a análise, todas as Regiões registraram redução no número de procedimentos. Só no Sudeste, houve diminuição de quase 3,7 mil (cerca de 27%) dos procedimentos para tratamento do glaucoma em 2020.

Fotografia de pessoa pingando colírio no olho, pelo Dia Nacional de Combate ao Glaucoma 2021.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Fotografia em close de uma pessoa lingando colírio no olho. Tem pele branca e cabelos grisalhos. Seu olho, com a retina esbranquiçada, apresenta glaucoma. As bordas da foto estão escurecidas, como sintomas dessa doença. Créditos: Shutterstock/ Edição JI

São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul foram os estados que tiveram maior queda absoluta. Proporcionalmente, a redução foi mais significativa no Acre, Amazonas, Mato Grosso do Sul e Piauí. Na contramão da maior parte do País, Rio Grande do Norte, Rondônia e Santa Catarina foram os únicos estados que aumentaram o número de cirurgias no período.

Confira o número de cirurgias por estado aqui , ou pelo link: http://www.i-mpr.com/s/0519/ee.png

O Relatório Mundial sobre a Visão da Organização Mundial da Saúde (OMS), com tradução não oficial, realizada pela “Light for the World International “, está disponível em PDF, no link: http://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/328717/9789241516570-por.pdf

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no tumblr
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email
Rafael Ferraz Carpi

Rafael Ferraz Carpi

Rafael Ferraz Carpi - Founder & Publisher (MTB: 0089466/SP). Jornalista formado em Comunicação Social (2006), Rafael assina como Editor responsável pelo conteúdo, edição geral e publicações. Autor do projeto Jornalista Inclusivo (JI) nas redes sociais e na Web, foi repórter em jornais impressos e em rádio AM, fotógrafo em navios internacionais de cruzeiro e assessor de imprensa. Ativista social, é criador de conteúdo digital acessível, redator web, e estrategista de marketing digital em mídias sociais.

Todos os posts

2 Comments

  1. Husky Jr.

    Top, encontrei sem querer esse blog e esse artigo aqui,
    gostei muito do que lí aqui… Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa Cookies

Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. 

Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies e nossa Política de Privacidade.