fbpx

7 expressões capacitistas para eliminar do vocabulário

Ilustração para “7 expressões capacitistas para eliminar do vocabulário”, fotografia de cadeirante solitário com sobreposição da palavra “capacitismo”.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Arte de capa ilustrando “7 expressões capacitistas para eliminar do vocabulário”. Fotografia com sobreposição da palavra “capacitismo”, na diagonal, rasurada com risco vermelho. Imagem da silhueta de uma pessoa em cadeira de rodas. Ela está de costas e levemente lateralizada, sozinha em um corredor escuro com uma luminosidade ao final. Créditos: GettyImage/Edição JI

Utilize os recursos de Acessibilidade Digital da EqualWeb clicando no botão redondo flutuante, na lateral esquerda. Para a tradução em Libras, acione a Maya, tradutora virtual da Hand Talk , no ícone quadrado à direita. Para ouvir o texto com Audima utilize o player de narração abaixo.

Site JI abre espaço para startup de empregabilidade PcD contribuir com o anticapacitismo

Criadora da Inclui PcD, a startup Egalitê lista 7 expressões capacitistas para eliminar do vocabulário e dá dicas de como substituí-las

De acordo com o Censo de 2010 do IBGE, 23,9% da população brasileira possui algum tipo de deficiência, representando 45 milhões de pessoas. Mesmo com essa representatividade, expressões capacitistas – termo que remete à discriminação e o preconceito social contra pessoas com deficiência – ainda são utilizadas frequentemente, inclusive no mundo corporativo.

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE 

Considerando que uma das maiores dificuldades enfrentadas por pessoas com deficiência é a inclusão no mercado de trabalho, empresas e funcionários precisam estar preparados para não reproduzir comportamentos e expressões capacitistas. Pensando nisso, a Egalitê, startup de empregabilidade para PcD, que viabiliza além de vagas de emprego a capacitação para empresas, separou 7 expressões que precisam ser retiradas do vocabulário popular:

1. “A equipe não tem braço/perna para essa demanda”

É possível substituir o uso da expressão por algo como: precisamos de mais funcionários ou contratações para entregar um resultado melhor.

2. “Está surdo?”

Às vezes, a frase acima é utilizada como uma forma de hipérbole. No entanto, ela é ofensiva para as pessoas que efetivamente possuem deficiência auditiva. Dessa forma, falar um pouco mais alto e perto da pessoa ou simplesmente perguntar se ela te ouviu resolvem a questão.

3. “Não estou enxergando, estou cego”

Outra situação de hipérbole que pode ser alterada por: preciso ir ao oftalmologista, preciso buscar meus óculos ou até mesmo preciso aumentar a letra do material lido.

4. “Fulano agiu igual retardado”

A afirmação ofensiva pode ser substituída por uma postura de empatia com a pessoa no intuito de entender quais os motivos dessa atitude. Se ainda assim houver repulsa, um “não gostei da atitude de fulano” é suficiente.

Ilustração para “7 expressões capacitistas para eliminar do vocabulário”, fotografia de cadeirante reclamando com sobreposição da palavra “capacitismo”.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Fotografia com sobreposição da palavra “capacitismo”, na diagonal, rasurada com risco vermelho. Na imagem, ao fundo, há um homem branco, em cadeira de rodas, com os braços estendidos para frente e as mãos abertas. No canto esquerdo da imagem, fora de foco, aparece parte de outra pessoa. Créditos: Shutterstock/Edição JI

5. “Pare de fingir demência”

Além de tentar se explicar novamente, a pessoa que reproduz essa frase pode substituí-la por: “pare de fingir que não entendeu”.

6. “O que ela fez foi mancada”

O termo preconceituoso pode ser trocado por sacanagem sem alterar o sentido da frase.

7. “Ele deu uma de João sem braço”

A palavra desentendido no lugar de “João sem braço” exprime a mesma ideia sem cunho preconceituoso.

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE 

SOBRE A INCLUI PCD:

Com atuação direta no universo da inserção nas empresas, a Egalitê realizará a segunda edição da Inclui PcD, maior feira de empregabilidade para o público, nos dias 20 e 24 de setembro de forma gratuita e online. Em 2020, a Inclui PcD promoveu 8 mil conexões, 5 mil vagas e 200 empresas participantes. Para 2021, nomes como Carrefour, Magalu, MercadoLivre, Itaú, Renner, P&G, EY, Eixo SP, J.P. Morgan e Johnson Control já estão entre os patrocinadores.

Em homenagem ao Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência, 21 de setembro, a feira é a maior de empregabilidade para o público do mundo. Online e gratuita, a 1ª Edição, em 2020, reuniu 8 mil conexões feitas, 5 mil postos de trabalho e 200 empresas participantes. Por meio de conexão, inclusão e capacitação, o evento é uma ponte entre esses profissionais e as empresas, atribuindo autonomia e protagonismo às pessoas com deficiência.

SOBRE A EGALITÊ:

Startup realizadora da Inclui PcD, a Egalitê é especializada na inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. A empresa atua promovendo conexão, capacitação e inclusão das pessoas com deficiência frente ao mercado de trabalho. A startup já capacitou e empregou mais de 8 mil pessoas em 19 estados. A HRtech venceu o Zero Project, prêmio australiano em conjunto com o World Future Council e o European Foundation Center, o World Summit Awards (WSA) promovido pela ONU, em 2019, além de ter sido acelerada pelo Facebook e pela Artemisia na Estação Hack, em 2018. Em 2017, foi a primeira empresa do Brasil premiada no Global Grand Challenges Awards e, no mesmo ano, foi considerada uma das 10 startups mais atrativas do Brasil, de acordo com a 100 Open Startups. Acesse egalite.com.br e saiba mais!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no tumblr
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email
Jornalista Inclusivo

Jornalista Inclusivo

Da Equipe de Redação JI
Editor responsável (MTB: 0089466/SP)

Todos os posts

Um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa Cookies

Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. 

Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies e nossa Política de Privacidade.