Capacitismo Eleitoral: Porque a propaganda do TSE para PCD errou sendo capacitista

Print da campanha do TSE com sobreposição de tarja na cor amarela e texto verde, na diagonal: “Capacitismo Eleitoral?”.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Print da propaganda do TSE, com sobreposição de tarja na cor amarela e texto verde, na diagonal: “Capacitismo Eleitoral?”. No rodapé, a legenda com transcrição do áudio: “os obstáculos a gente enfrenta todo dia, mas perto da vontade de votar, todos eles ficam pequenos”. No centro na imagem está Brazil Nunes, servidor da Justiça Eleitoral. Homem branco com deficiência, que participa da campanha. Ele utiliza duas muletas. (Imagem: Edição de arte. Foto: Reprodução/YouTube)

“Tentativa de comunicar com pessoas com deficiência é boa, mas roteiro da campanha erra ao usar estereótipos paternalistas”, diz publicação no site Terra Nós

Pode ser acessado no site terra.com.br, o espaço Terra Nós, que apresenta um novo olhar sobre diversidade, com contribuições do Movimento negro, LGBTQIA+, luta das mulheres no mercado de trabalho, feminismo, direitos da população PCD e as principais notícias sobre um mundo mais diverso. Recentemente, a redação do Terra Nós analisou a campanha do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre a acessibilidade nas eleições.

Conteúdo do artigo
    Add a header to begin generating the table of contents

    Boa leitura!

    Publicidade

    Propaganda do TSE para PCD

    A Justiça Eleitoral exibe desde o dia 18 de junho uma campanha voltada a eleitoras e eleitores com deficiência ou com mobilidade reduzida. O objetivo é divulgar que pessoas com dificuldade de locomoção têm até o dia 18 de agosto para solicitar à Justiça Eleitoral para votar em uma seção especial com acessibilidade. 

    Ser gigante nas Eleições?

    Protagonizada por Brazil Nunez, servidor da Justiça Eleitoral, a campanha se inicia com a fala: 

    “Obstáculos a gente enfrenta todo dia, mas perto da vontade de votar todos eles ficam pequenos”.

    Já nesta primeira fala há um equívoco: os obstáculos – em especial os físicos, mostrados na propaganda como escadas sem acessibilidade ou catracas – não se tornam menores com a força de vontade, e sim com consciência coletiva sobre acesso e acessibilidade. 

    Capacitismo Eleitoral

    Em seguida, Brazil explica como fazer a alteração do local de votação. E finaliza: 

    “E seja gigante nas eleições 2022”.

    Esta frase final é também um problema, afinal, pessoas com deficiência ao votar estão apenas exercendo seus direitos. No mais, todo o tom da campanha é de que pessoas com deficiência estão em constante dificuldade, reforçando um estereótipo bastante paternalista. 

    Assista e faça sua análise

    Vale PcD

    A página Vale PCD, o primeiro projeto voltado para o protagonismo PCD LGBT no Brasil, também levantou essas questões e faz um trabalho muito importante ao informar sobre diretos das pessoas com deficiência.

    Confira o post:

    Jornalista Inclusivo
    Jornalista Inclusivo

    Da Equipe de Redação

    Todas
    • Siga nas redes sociais:

    Este post tem 2 comentários

    Deixe um comentário