Projeto transforma cadeiras de rodas em triciclos

Foto do equipamento Rodar Sem Limites. O projeto transforma cadeiras de rodas em triciclos. Na imagem há uma pessoa sentada na cadeira e segurando o guidão, feito para usar com uma mão. O rosto dessa pessoa não aparece. Também é possível ver o encaixe do extensor na cadeira.
O Rodar sem Limites é uma parceria do Instituto Nacional de Tecnologia e a Prefeitura de Maricá (RJ). O projeto transforma cadeiras de rodas em triciclos e será um equipamento compartilhado em totens pela cidade. (Foto: Divulgação)

Iniciativa para melhorar a mobilodade urbana, o extensor para cadeiras será disponibilizado em totens nas áreas públicas, semelhante às bicicletas de aluguel.

A mobilidade urbana pode ser desafio para pessoas que utilizam cadeiras de rodas. Pensando em facilitar a locomoção e promover a inclusão, o Instituto Nacional de Tecnologia (INT), em parceria com a Prefeitura de Maricá, desenvolveu um projeto inovador. O objetivo é transformar cadeiras de rodas em triciclos para melhorar a acessibilidade nos espaços urbanos para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. Neste artigo, vamos explorar os detalhes desse projeto pioneiro e seu impacto na mobilidade inclusiva.

Neste artigo

Boa leitura!

Publicidade

Rodar sem Limites: a necessidade da mobilidade urbana

Para pessoas que utilizam cadeiras de rodas, a locomoção nos espaços urbanos pode ser desafiadora. Enfrentar a falta de acessibilidade e os obstáculos físicos, muitas vezes impede que essas pessoas participem de atividades físicas, esportivas e de lazer. Essa necessidade motivou a tecnologista Carla Guimarães , do Laboratório de Tecnologia Assistiva e Inclusão (LATAI) do INT , a desenvolver uma solução que oferecesse maior mobilidade e qualidade de vida para pessoas que utilizam cadeiras de rodas, funcionando nos moldes das bicicletas de aluguel.

“Diferente do serviço convencional, no entanto, seria importante solucionar a questão sobre o que fazer com as cadeiras de rodas desses usuários, uma vez que deixá-las para trás não parecia uma boa solução. Então, foi desenvolvido o conceito em torno de um extensor: um equipamento que pudesse ser acoplado a qualquer cadeira de rodas, transformando-a em um triciclo, capaz de rodar em segurança com mais velocidade e facilidade de manobra” – relata Carla Guimarães.

Projeto transforma cadeiras de rodas em triciclos

Com base nessa motivação, a proposta do extensor foi apresentada à Prefeitura do município de Maricá, que se tornou parceira da iniciativa, através da Secretaria de Assistência Social e do Conselho Municipal de Pessoas com Deficiência. Em 2021, o projeto ‘Rodar Sem Limites: Equipamento para inclusão e mobilidade’ foi aprovado no Programa de Apoio a Projetos Científicos e Tecnológicos em Mobilidade Urbana da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj ).

Os testes biomecânicos desse protótipo foram conduzidos no Centro de Estudos do Movimento do LATAI/INT, localizado no Centro de Reabilitação de Maricá, resultado da parceria com a prefeitura. Atualmente, os resultados dessas avaliações estão sendo analisados com o intuito de fornecer subsídios para as melhorias e ajustes necessários. Além disso, o Laboratório de Caracterização de Propriedades Mecânicas e Microestruturais (LACPM) do INT está responsável pela seleção dos materiais a serem utilizados no equipamento final.

“Para esta avaliação utilizamos o Ansys, um software avançado de simulação computacional multifísica, que avalia cada um dos componentes do extensor e do conjunto que o dispositivo forma com a cadeira de rodas. Assim, conseguimos reduzir a quantidade de testes experimentais de fratura e fadiga dos materiais, ao mesmo tempo em que temos acesso a mais resultados que permitirão à equipe a escolha dos melhores materiais, garantindo a segurança do usuário e o desempenho do equipamento” – explica o engenheiro mecânico Joan O’Connor, bolsista de pós-doutorado no INT pelo Programa de Capacitação Institucional (PCI) do CNPq.

Publicidade

Funcionamento do extensor e benefícios

O dispositivo desenvolvido é simples e eficiente. Consiste em uma roda de bicicleta ligada a um volante, controlado por um único braço. Ao ser acoplado à cadeira de rodas, o extensor suspende ligeiramente as rodinhas dianteiras, que geralmente são mais frágeis e dificultam a superação de obstáculos nas ruas. Com essa modificação, a pessoa usuária ganha em dirigibilidade e pode impulsionar sua cadeira de rodas de forma convencional. Essa abordagem foi uma opção do projeto, visando incentivar a mobilidade e a prática de exercícios físicos pelas pessoas que utilizam cadeiras de rodas.

Vídeo do protótipo com depoimentos

O vídeo apresenta imagens do protótipo em movimento e depoimentos dos pesquisadores, em matéria do Portal da Faperj no Youtube .

Ampliação do projeto e disponibilidade

Além do desenvolvimento do equipamento, o projeto também contempla a criação de totens em áreas públicas e de lazer, onde os extensores estarão disponíveis para retirada pelas(os) cadeirantes. Essa iniciativa será gerenciada pela Prefeitura de Maricá, garantindo maior acessibilidade e democratizando o acesso aos extensores.

O projeto desenvolvido pelo INT em parceria com a Prefeitura de Maricá representa um avanço significativo no campo da mobilidade inclusiva. A pesquisa, os testes e a seleção de materiais adequados garantem a segurança e o desempenho do equipamento.

Além disso, com a disponibilidade dos extensores em totens nas áreas públicas e de lazer, a mobilidade inclusiva se torna uma realidade, promovendo a participação plena e a qualidade de vida das pessoas que utilizam cadeiras de rodas. Essa iniciativa destaca a importância da tecnologia assistiva na construção de uma sociedade mais inclusiva e acessível para todas as pessoas.

A pesquisadora Carla Guimarães também gravou um Reels no Instagram do INT (@int.online) explicando o funcionamento do equipamento no link.

Picture of Jornalista Inclusivo
Jornalista Inclusivo

Da Equipe de Redação