Colibri: Mouse de cabeça permite controlar celular, tablet e computador sem usar as mãos

Imagem do Colibri, mouse de cabeça da startup TiX. Dispositivo amarelo acoplado na perna de um óculos roxo.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Arte com sobreposição dos logotipos da startup TiX, no canto esquerdo superior e do Colibri, no inferior. No centro está foto do mouse de cabeça, um dispositivo amarelo, retangular, preso com uma presilha na perna direita de óculos roxo. No canto direto inferior, sobreposição dos símbolos de bluetooth e sinal de wi-fi. Créditos: Edição JI

Em vídeo que viralizou na internet, o CEO e fundador da TiX mostra como o mouse de cabeça capta movimentos para controlar o mouse com precisão e garantir autonomia digital sem fios para pessoas com deficiência

Recentemente circulou no Instagram e em grupos de WhatsApp, o vídeo de uma pessoa usando um óculos colorido e controlando o celular com movimentos da cabeça. O autor do post que viralizou é o Adriano Rabelo Assis, CEO e fundador da startup TiX – Tecnologia Assistiva sediada em Belo Horizonte (MG).

Conteúdo do artigo
    Add a header to begin generating the table of contents

    Boa leitura!

    Publicidade

    Mouse de cabeça Colibrí

    Com evolução de tecnologias assistivas para pessoas com deficiência, um mouse de cabeça para controlar dispositivos eletrônicos é grande aliado da acessibilidade digital, em sites e aplicativos, como complemento tecnológico fácil de adquirir e utilizar no dia a dia. 

    “Pensando nesse público, a TiX foi criada para proporcionar acesso a uma tecnologia de ponta, sem impactar o orçamento familiar”, segundo Adriano Assis. Movida por este propósito, a startup mineira criou uma solução que está revolucionando o mercado: o mouse de cabeça Colibri.

    O Colibri é um dispositivo sem fios para que pessoas com pouca mobilidade, que não podem usar as mãos, controlem celulares, tablets e computadores apenas com movimentos da cabeça e o piscar dos olhos.

    Como o Colibrí nasceu

    Inicialmente, segundo o próprio site da TiX, o Colibri nasceu para atender às necessidades do Mikael, que tem artrogripose – condição congênita caracterizada pela falta de movimentos do bebê ainda no útero, que acomete articulações e músculos, limitando os movimentos. Por isso, aprendeu a usar o celular com a boca para jogar games, o que é incômodo e pouco funcional.

    Como não havia um produto que atendesse o Mikael, a TiX desenvolveu um protótipo do mouse especialmente para que ele tivesse autonomia. O garoto passou a ser o “piloto de testes” do novo equipamento. “A primeira tentativa já foi um sucesso, como você pode ver neste vídeo do Mikael usando o celular antes e depois do primeiro protótipo”, diz outro post.

    Depois de mais alguma versões, o Colibri chegou ao seu formato atual e é indicado para pessoas com tetraplegia, paralisia cerebral, dificuldades com o uso das mãos ou que tenham sofrido acidente vascular cerebral (AVC).

    Funcionalidades da tecnologia

    O Colibri capta movimentos intuitivos da cabeça para controlar o ponteiro do mouse com precisão. Além de prático, o mouse de cabeça é leve, sem fios, tem bateria recarregável e não precisa instalar nada no computador ou celular, é só parear com o bluetooth e começar a usar.

    No canal da TiX no YouTube, entre os vídeos de produtos da startup, a playlist ‘Colibri, mouse de cabeça sem fios’ , apresenta uma série de vídeos mostrando as funcionalidades do equipamento.

    Foto do mouse de cabeça Colibri, da startup TiX, e das armações de óculos que acompanha o dispositivo em diversas opções de cores.
    Descrição da imagem #PraCegoVer: Fotografia colorida, com sobreposição dos logotipos da TiX e Colibri, respectivamente nos cantos esquerdo inferior e direito superior, da imagem. Sobre superfície escura, a foto mostra oito armações de óculos e oito dispositivos, nas cores: branco, azul, verde, amarelo, rosa, roxo, cinza e preto. Créditos: Divulgação/Editado

    O usuário ainda pode escolhera cor do dispositivo e do óculos que o acompanha. São várias cores, possibilitando dezenas de combinações. Ou se preferir, ele também pode ser acoplado a qualquer armação de óculos convencionais.

    Para quem quiser investir na solução, que garante autonomia e acessibilidade para pessoas com deficiência, a TiX desenvolveu dois planos de assinatura para contratação ou aquisição do Colibri. Contribuindo com a inclusão digital, os planos seguem uma tendência comum do mercado, como acontece com aparelhos auditivos e outros.

    Além do Colibri, a startup também criou o TiX –Teclado Inteligente Multifuncional; o Expressia –app de Comunicação Alternativa facilitada para pessoas não verbais; o TelepatiX – para comunicação próxima; e o a-blinX – acionador que capta o piscar dos olhos.

    Sobre a startup TiX

    Inovando em acessibilidade digital, a startup brasileira TiX Tecnologia Assistiva – também nos EUA como Key2enable , amplia o potencial da pessoa com deficiência através da acessibilidade e por entender o ser humano acima da tecnologia.

    Fundada em 2009 como Geraes e rebatizada em 2019 como TiX, a startup de Belo Horizonte (MG) tinha o objetivo de levar ao mercado uma solução em acessibilidade para pessoas com deficiência visual no transporte público: o Sistema DPS2000, que permite ao passageiro com deficiência visual, solicitar embarque autonomamente na linha de ônibus desejada, através de um transmissor de radiofrequência portátil.

    Em 2015, os fundadores lançaram no mercado o que se tornaria o mais inovador produto assistivo já criado no Brasil: o Teclado Inteligente Multifuncional TiX . O produto deu origem a um conjunto de acessórios e aplicativos para acessibilidade digital, comunicação, inclusão escolar e reabilitação de pessoas com deficiência.

    Criança com paralisia cerebral, em cadeira de rodas, utilizando o teclado inteligente multifuncional da startup TiX.
    Descrição da imagem #PraCegoVer: Fotografia colorida, em ambiente interno, da Marina, que tem paralisia cerebral. Jovem de pele branca, cabelos pretos amarrados atrás da cabeça e cadeirante. Está sentada à mesa na sala de aula. À sua frente está o Teclado Inteligente Multifuncional TiX, conectado a um laotop. Com a ferramenta, apresentou o Trabalho de Conclusão de Curso na FATEC. Créditos: Reprodução/TiX.life

    Segundo publicação de 2019 do site Draft , ainda com o nome Geraes, emplacou no ranking 100 Startups to Watch, da PEGN. Na sequência ficou em segundo lugar (entre 600 candidatos) no Programa FedEx para Pequenas Empresas, levando R$ 40 mil e acesso a mentorias. Já como TiX participou do Sebrae Like a Boss, no Startup Summit, em Florianópolis, garantindo lugar na final em Macau, na China.

    Em 2019, a startup também ficou em segundo lugar na Amcham Arena (competição promovida pela Câmara de Comércio dos EUA, em Belo Horizonte) e foi eleita a startup mais inovadora da América Latina pelo Innovation Awards Latam , liderando uma lista de 100 empresas.

    Picture of Rafael F. Carpi
    Rafael F. Carpi

    Editor na Jornalista Inclusivo e na PCD Dataverso. Formado em Comunicação Social (2006), foi repórter, assessor de imprensa, executivo de contas e fotógrafo. É consultor em inclusão, ativista dedicado aos direitos da pessoa com deficiência, e redator na equipe Dando Flor e na Pachamen Editoria.

    LinkedIn
    • Siga nas redes sociais: