fbpx

75 anos ‘Transformando Vidas e Incluindo Pessoas’

Arte com logo e nome da Fundação Dorina Nowill para Cegos, descrita na legenda, de “Transformando Vidas e Incluindo Pessoas”.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem de capa da matéria sobre a exposição “Transformando Vidas e Incluindo Pessoas” é uma ilustração com o nome Linha da Cultura, na lateral esquerda, com o logotipo e o nome da Fundação Dorina Nowill para Cegos, 75 anos de inclusão, abaixo do logo. À direita, o texto: Realização Linha da Cultura e Fundação Dorina Nowill para Cegos. Estação República, a partir de 19/05. No rodapé, com filtro amarelo, duas mãos fazendo leitura em Braille. Créditos: biblioteca.metrosp.com.br/ Edição JI

Utilize os recursos de Acessibilidade Digital da EqualWeb clicando no botão redondo flutuante, na barra da lateral esquerda. Para a tradução em Libras, acione o intérprete virtual da Hand Talk , no ícone quadrado à direita. Para ouvir o texto com Audima utilize o player de narração abaixo.

Exposição celebra os 75 anos da Fundação Dorina Nowill para Cegos

Em cartaz nas linhas vermelha, azul e verde do metrô de São Paulo e na Unibes Cultural, exposição Transformando Vidas e Incluindo Pessoas mostra a história da Fundação, referência em acessibilidade e inclusão

Em 2021, a Fundação Dorina Nowill para Cegos comemora 75 anos. E, para dar continuidade às celebrações, a instituição lança, em parceria com o Metrô de São Paulo e Unibes Cultural, a exposição “Transformando Vidas e Incluindo Pessoas”.

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE 

No metrô de São Paulo, a exposição já teve início e acontece forma itinerante. Apresenta textos e imagens explicativas que viajarão pelas estações da República, Luz e Alto do Ipiranga do metrô. Já na Unibes Cultural, a mostra se inicia em 25 de maio e vai até 16 de julho, com imagens históricas sobre o universo das pessoas com deficiência visual.

A iniciativa tem o objetivo de aproximar o público da história da instituição, pioneira na inclusão social de pessoas com deficiência visual e, ainda, valorizar a arte pela cidade de São Paulo. Ao percorrer as imagens da exposição, o público entrará em contato com uma história de realizações e desafios.

“Por meio da exposição, queremos sensibilizar a sociedade sobre a causa da inclusão das pessoas cegas ou com baixa visão e contribuir culturalmente com a sociedade. Essa exposição tem como intuito imergir no tempo. A ideia é mostrar as raízes da instituição, desde sua fundação até os dias atuais. Além disso, é uma forma de dar visibilidade ao legado vivo de Dorina de Gouvêa Nowill, que dedicou sua vida para garantir a autonomia e inclusão das pessoas com deficiência visual”, conta Alexandre Munck, superintendente executivo da Fundação Dorina Nowill para Cegos.

Arte amarela com nome da Fundação Dorina Nowill para Cegos e da exposição 75 anos Transformando vidas e Incluindo pessoas.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Ilustração em fundo amarelo com o texto: Fundação Dorina Nowill para Cegos, 75 anos, Transformando vidas e incluindo pessoas. No rodapé, os logos: Fundação Dorina, Linha da cultura, Metrô, Governo do Estado de São Paulo. Créditos: biblioteca.metrosp.com.br/ Editada

Destaques da exposição "Transformando Vidas e Incluindo Pessoas"

Origem da História

Ainda como Fundação para o Livro do Cego no Brasil, a entidade surge em 1946 com a proposta de incentivar a leitura e produção de conteúdo acessível voltado à pessoa cega ou com baixa visão.

A Dama da Inclusão

Nascida em 28 de maio de 1919, Dorina de Gouvêa Nowill perdeu a visão ainda com 17 anos e, posteriormente batalhou durante toda sua trajetória pela autonomia e inclusão de pessoas com deficiência visual até sua morte em agosto de 2010.

Educação Acessível

A educação e alfabetização são importantes focos de atuação da Fundação Dorina Nowill para Cegos, por meio de produção de livros em Braille, audiolivros e materiais digitais de ensino.

Empregabilidade

A Fundação Dorina tem uma área de empregabilidade, que atua com o objetivo de ampliar as oportunidades para pessoas com deficiência visual no mercado de trabalho, além de incentivar a autonomia no dia a dia.

Atendimentos Especializados

A Fundação Dorina oferece serviços de atendimento como oftalmologia, clínica de visão subnormal, fisioterapia, psicologia, terapia ocupacional, aulas de informática, orientação e mobilidade.

Centro de Memória

Inaugurado em 2002, o Centro de Memória Dorina Nowill tem como missão apresentar a história da luta das pessoas com deficiência visual, através de conteúdos e objetos históricos.

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE 

Cego, baixa visão ou tudo igual?

Já o site da Linha da Cultura do Metrô explica que “a mostra é um recorte que retrata, por meio de imagens históricas, o universo da pessoa com deficiência visual e o protagonismo da Fundação Dorina Nowill para Cegos na promoção da acessibilidade e inclusão. Trabalhando com equipes especializadas, a Fundação vem tornando sonhos em realidade e transformando vidas, pilares que sustentam o seu trabalho desde 1946.”

Entre as imagens da exposição, mais que contar uma história, mostra como uma pessoa com baixa visão enxerga, por exemplo.  “A pessoa com baixa visão continua com dificuldade para enxergar mesmo com o uso de óculos, após cirurgias e tratamentos, apresentando 30% de visão ou menos no seu melhor olho. No dia a dia não consegue distinguir, de longe, rostos e placas de ruas, e as crianças não conseguem ler o que está escrito na lousa. Essas são algumas dificuldades encontradas, e muitos precisam utilizar bengala para locomoção.”

Confira abaixo uma pequena mostra:

Exemplo 1 de baixa visão, com descrição na legenda.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Na primeira imagem, a fotografia de uma casa é escondida por uma grande mancha preta, e logo abaixo a explicação: Foto 1: Imagem percebida por uma pessoa que apresenta lesão central na retina - nos casos de toxoplasmose ocular congênita, degeneração macular relacionada à idade e doença de Stargardt. Créditos: Reprodução/ biblioteca.metrosp.com.br
Exemplo 2 de baixa visão, com descrição na legenda.
Descrição da imagem #PraCegoVer: A segunda imagem, da mesma casa, mostra uma mancha preta ao redor da fotografia. Abaixo, a explicação: Foto 2: Imagem captada por quem apresenta redução do campo visual característica de doenças como glaucoma e retinose pigmentar. Créditos: Reprodução/ biblioteca.metrosp.com.br
Exemplo 3 de baixa visão, com descrição na legenda.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Na terceira a imagem, a fotografia da casa está borrada, sem foco. Na sequência, a explicação: Foto 3: Imagem com pouca nitidez, embaçada e percebida presente em quem possui albinismo e catarata congênita. Créditos: Reprodução/ biblioteca.metrosp.com.br
Exemplo 4 de baixa visão, com descrição na legenda.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Já a ultima foto apresenta manchas pretas, e alguns pontos onde se vê a imagem da casa. Logo, a explicação: Foto 4: Imagem com manchas escuras percebida por pessoas com retinopatia diabética por exemplo. Créditos: Reprodução/ biblioteca.metrosp.com.br

Cronograma de circulação da exposição itinerante nas estações do Metrô:

  • República – 19/05 a 20/06
  • Alto do Ipiranga – 22/06 a 31/07
  • Luz – 03/08 a 29/08

O material da exposição pode ser conferido no site da Linha da Cultura do Metrô, no endereço: biblioteca.metrosp.com.br

Unibes Cultural:

  • Endereço: Rua Oscar Freire, nº 2.500, metrô Sumaré, Linha Verde.
  • Data: de 25/05 até 16/07
  • Horário: de terça a sexta, das 14h às 19h.

Visitas somente com agendamento através do site: www.unibescultural.org.br

SOBRE A FUNDAÇÃO DORINA

Celebrando 75 anos de existência, a Fundação Dorina Nowill para Cegos vem trabalhando para que crianças, jovens, adultos e idosos cegos ou com baixa visão sejam incluídos em diferentes cenários sociais. A instituição oferece serviços gratuitos e especializados de habilitação e reabilitação, dentre eles orientação e mobilidade e clínica de visão subnormal, além de programas de inclusão educacional e profissional. Responsável por um dos maiores parques gráficos de braille no mundo, com capacidade de impressão de até 450 mil páginas por dia, a Fundação Dorina Nowill para Cegos é referência na produção e distribuição de materiais nos formatos acessíveis braille, áudio, impressão em fonte ampliada e digital acessível, incluindo o envio gratuito de livros para milhares de escolas, bibliotecas e organizações de todo o Brasil. A instituição também oferece uma gama de serviços em acessibilidade, como cursos, capacitações customizadas, sites acessíveis, audiodescrição e consultorias especializadas. Contando com o apoio fundamental de colaboradores, conselheiros, parceiros, patrocinadores e voluntários, a Fundação Dorina Nowill para Cegos é reconhecida e respeitada pela seriedade de um trabalho que atravessa décadas e busca conferir independência, autonomia e dignidade às pessoas com deficiência visual.

Mais detalhes: www.fundacaodorina.org.br

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no tumblr
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email
Jornalista Inclusivo

Jornalista Inclusivo

Da Equipe de Redação JI
Editor responsável (MTB: 0089466/SP)

Todos os posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa Cookies

Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. 

Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies e nossa Política de Privacidade.