fbpx

Pesquisa Pessoa com Deficiência e Emprego: Acesse o resultado

Banner em fundo preto e banco, com carteira de trabalho, e texto: Acesse o resultado da pesquisa Pessoa com Deficiência e Trabalho. Descrição na legenda.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Banner com fundo preto, na metade à esquerda, com o título: Acesse o resultado da Pesquisa Pessoa com Deficiência e Emprego. No centro do banner, metade sobre fundo preto e metade sobre fundo branco, a fotografia de uma mão esquerda segurando uma carteira de trabalho. O documento foi editado com o símbolo de acessibilidade (uma pessoa em cadeira de rosas), no lugar do brasão da federação. Na lateral direita do banner, sobre fundo branco, os logos “Meu Emprego Inclusivo” e “Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Estado de São Paulo”. Créditos: Divulgação/ Edição JI

Utilize os recursos de Acessibilidade Digital da EqualWeb clicando no botão redondo flutuante, na barra da lateral esquerda. Para a tradução em Libras, acione o intérprete virtual da Hand Talk , no ícone quadrado à direita. Para ouvir o texto com Audima utilize o player de narração abaixo.

Resultado revela urgência do ambiente corporativo aderir à cultura da diversidade

Pesquisa Pessoa com Deficiência e Emprego 2020 alcançou mais de 8 mil PcDs de todo o estado de São Paulo e levantou dados e informações em relação ao acesso e barreiras no mercado de trabalho

Considerando a histórica exclusão ao acesso e permanência da pessoa com deficiência no mercado de trabalho, dificuldade intensificada pela crise de desemprego que assolou o país em virtude da pandemia da COVID-19, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo lançou, em dezembro de 2020, pesquisa Pessoa com Deficiência e Emprego.

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE 

A pesquisa, que alcançou mais de 8 mil pessoas com deficiência, abrangeu 282 municípios do estado de São Paulo, mostrando que a maioria das pessoas com deficiência respondentes está localizada na Capital e região Metropolitana (42,80%).

O resultado foi dividido em quatro blocos:

  • Perfil das pessoas com deficiência respondentes;
  • Perfil de interesse por cursos de qualificação técnica e empreendedora;
  • Principais barreiras de acesso e permanência dos trabalhadores com deficiência nas empresas;
  • Recomendações gerais dos respondentes.

Dessa forma, o resultado mostrou que 46,47% possui renda por meio do mercado formal ou informal de trabalho, 35,05% encontram-se desempregados, 12,53% recebem benefícios assistenciais e 3,02% estão aposentados.

Analisando os dados por gênero, é possível observar que das 4.200 mulheres que responderam à pesquisa, 96,57% estão em idade produtiva para o trabalho, cuja maioria possui idade entre 31 a 49 anos (58,45%). Já dos homens respondentes (4.264), 95,8% encontram-se em idade produtiva.

Banner de pessoas com deficiência por gênero
Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem dividida ao meio com fundo branco na primeira metade e azul na segunda. Na lateral esquerda está o título: Pessoas com deficiência por gênero: Ilustração de mulher em cadeira de rodas e a informação: Feminino – 49.50%. Abaixo, ilustração de homem cego com bengala e cão-guia: Homem – 50.25%. Abaixo, a informação: Não binário – 0.25%. Na outra metade da imagem, sobre fundo azul, o título: Pessoas com deficiência por faixa etária: Até 17 anos – 2.99%; De 18 a 30 anos – 30.24%; De 31 a 49 anos – 57.94%; De 50 a 64 anos – 8.00%; 65 anos ou mais – 0.82%. Créditos: Reprodução/ SEDPcD-SP

Quanto ao objetivo de ingressar no mercado de trabalho, foi possível identificar que mais de 22% dos participantes da pesquisa buscam independência financeira. Seguido do anseio de construir a carreira profissional, sendo 20,81% das respostas.

Em relação a qualificação profissional, 83,26% das pessoas com deficiência que responderam a pesquisa demonstraram ter interesse em cursos de qualificação profissional, tendo como preferência cursos em formato on-line (55,41%) e optando pelo período noturno (54,9%).

Reprodução da Pesquisa Pessoa com Deficiência e Emprego.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem dividida ao meio com fundo branco na primeira metade e azul na segunda. Na lateral esquerda está o título: Pessoas com deficiência por modalidade de curso. Online – 55.41%; Presencial – 42.69%; Não informado – 1.90%. Na outra metade, com fundo azul, o título: Pessoa com deficiência por período do curso. Noite – 54.49%; Manhã – 25.02; Tarde – 18.17%; Não informado – 2.31%. Créditos: Reprodução/ SEDPcD-SP

Os dados apontam que do total de pessoas que responderam à pesquisa, 15% das pessoas com deficiência de SP nunca trabalharam no mercado formal de trabalho, destas, 49,04% nunca tiveram oportunidade de ingressar no mercado de trabalho. Além disso, quase 20% do público sente que as empresas não as veem como profissionais em potencial, prestando atenção à sua deficiência e não à sua habilidade.

O 3º bloco da pesquisa mostra as principais barreiras de acesso e permanência dos trabalhadores com deficiência nas empresas. E diz: “Expressiva parte das pessoas com deficiência que responderam esta pesquisa (7.188 pessoas – 84.71%) informaram ter tido acesso ao trabalho ‘durante sua vida’, o que representa uma amostra muito relevante em relação ao apontamento das dificuldades e barreiras experimentadas por estes trabalhadores”. O relatório mostra que 15.29% disseram que “não tiveram acesso” ao mercado de trabalho.

Reprodução da Pesquisa Pessoa com Deficiência e Emprego.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem em fundo branco com o título: Pessoas com deficiência por motivo de não ingressarem no mercado de trabalho. Abaixo, gráfico circular divido por cores apresenta a seguinte informação: 49.04% Nunca teve oportunidade; 14.57% Não tem interesse; 10.49% Se sente inapto devido a deficiência; 9.71% Outros motivos; 9.18% Não informado; 7.02% Receio de perder o BPC (Benefício de Prestação Continuada). No rodapé a informação: 1,297 total de respostas obtidas. Na lateral direita, ilustração de pessoa em cadeira de rodas usando notebook em cima de uma mesa e alguns papéis. Créditos: Reprodução/ SEDPcD-SP

“Cada pessoa, com o seu talento, pode e deve desenvolver suas aptidões. E a empregabilidade é o melhor caminho. As empresas precisam entender que as pessoas com deficiência precisam da oportunidade de entrar no mercado de trabalho”, ressaltou a Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Célia Leão.

“A partir do resultado dessa pesquisa, nós enquanto Secretaria realizaremos durante este ano e o próximo, diversas ações para ampliar e efetivar as oportunidades de trabalho às pessoas com deficiência. Campanhas de sensibilização e ações de qualificação profissional, são alguns dos exemplos de ações para que as pessoas com deficiência sejam cada vez mais bônus para a nação”, ressaltou.

Fotografia da Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência Célia Leão. Mulher branca de cabelos pretos, na altura dos ombros. Está sorrindo, usa cadeira de rodas, suéter rosa, colar e brincos.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Fotografia da Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência Célia Leão. Mulher branca de cabelos pretos, na altura dos ombros. Está sorrindo, usa cadeira de rodas, suéter rosa, colar e brincos. Créditos: Comunicação SEDPcD-SP

O resultado completo da pesquisa disponibilizada em versão PDF, pode ser conferido através do link: http://bit.ly/PessoaDeficienciaEmprego  

APOIO:

A Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo (SEDPcD-SP) contou com o apoio de Entidades de Pessoas com Deficiência do Estado; Prefeituras; Conselhos dos Direitos das Pessoas com Deficiência; Secretaria de Assistência Social; Consultorias de Inclusão de Pessoas com Deficiência no mercado de trabalho; Rede de Reabilitação Lucy Montoro e de Organizações da Sociedade Civil para divulgação da Pesquisa. Dentre os parceiros, a SEDPcD-SP destaca a Social IN, Talento Incluir e Consolidar Diversidade.

CONTINUA APÓS PUBLICIDADE 

OPORTUNIDADES:

Dentro do programa do Estado “Meu Emprego Inclusivo”, os Polos de Empregabilidade Inclusivos (PEIs), da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, têm como objetivo promover desenvolvimento profissional, inclusão e permanência de pessoas com deficiência no mercado de trabalho.

Dentre as principais ações dos PEIs está a captação de currículo e entrevista com os candidatos para identificação de perfis para encaminhamento às vagas de emprego disponíveis. Os atendimentos às empresas também são realizados para sensibilização de equipes e o acompanhamento das pessoas contratadas.

INFORMAÇÕES

Site:

PEI Imigrantes:

PEI Boa Vista:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no tumblr
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email
Jornalista Inclusivo

Jornalista Inclusivo

Da Equipe de Redação JI
Editor responsável (MTB: 0089466/SP)

Todos os posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa Cookies

Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. 

Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies e nossa Política de Privacidade.