Esporte inclusivo: Autista de 10 anos é destaque no futebol

Foto colorida, em área externa, com o Enzo, aluno autista de 10 anos, segurando a bola de futebol e sorrindo. O garoto tem cabelo preto e pele parda, usa uniforme azul da Escola de Futebol Boca Juniors. Em segundo plano se vê parte do gramado e o gol, além de um banner com torcida e outro aluno da escola.
Mostrando a força do futebol como esporte inclusivo, Enzo, aluno autista de 10 anos é campeão pela Escola de Futebol Boca Juniors, em festival realizado no início deste mês. (Foto: Divulgação)

Mãe do garoto viu no esporte a oportunidade de aprimorar o desenvolvimento físico e social do seu filho, apaixonado pelo futebol.

Descubra a emocionante história de um craque no futebol, um jovem autista de 10 anos, que se destaca no futebol em Praia Grande, na Região Metropolitana da Baixada Santista, Litoral Sul do estado de São Paulo. No artigo de hoje, conheça como o esporte inclusivo é capaz de promover desenvolvimento e interação.

Índice do conteúdo


Boa leitura!

Publicidade

Futebol: Um esporte inclusivo

Conhecido como o esporte mais popular do mundo, o futebol desperta paixões em milhões de pessoas desde a infância. Um sentimento que transcende as fronteiras culturais, sociais e geográficas, e também ajuda no enfrentamento de obstáculos e no desenvolvimento.

Isso fica ainda mais evidente quando vemos histórias de meninos como Enzo, de 10 anos, que mora em Praia Grande (SP). Diagnosticado com Transtorno do Espectro Autista (TEA), ele encontrou no esporte uma forma de se expressar e se conectar com o mundo ao seu redor, sendo campeão pela Escola de Futebol Boca Juniors , no Festival Arena Omega, realizado no dia 3 de junho de 2023.

Oportunidade para o desenvolvimento

A mãe de Enzo, Michele Ferreira Calado, viu no esporte a oportunidade de aprimorar o desenvolvimento do filho. Ela relata que, no início, Enzo enfrentou certa apreensão devido ao barulho e agitação, mas logo se adaptou e começou a participar mais ativamente:

“No primeiro jogo ele ficou um pouco assustado porque tinha a torcida e precisou se adaptar com o barulho e a agitação. Mas depois se acostumou e já participou mais. Ele estava ansioso e gostou muito de competir. Mostra para todos a medalha que ganhou e fala que foi campeão. É emocionante ver ele tão solto e se destacando junto com os colegas”, diz Michele.

Adriel Farias, professor de Enzo na Escola de Futebol Boca Juniors, revelou que a participação do garoto no evento surpreendeu a todos:

“Ele já havia jogado em um campeonato interno e com base no seu bom desempenho, tivemos a ideia dele participar desse festival para jogadores de iniciação. Ele participou dos jogos, correu e se divertiu. Tenho certeza que foi uma experiência única”.

Autista de 10 anos encarando desafios

O caminho até esse momento de sucesso não foi fácil para Enzo. Com apenas três meses de idade, ele precisou passar por uma cirurgia cardíaca, enfrentando desde cedo desafios em sua jornada. No entanto, ele sempre teve uma paixão inabalável: o futebol.

Michele conta que Enzo é apaixonado por todos os times, assiste a todos os jogos e conhece o nome de todos os jogadores. Por isso, ela buscou a escola de futebol como forma de permitir que ele se aproximasse mais do esporte e se desenvolvesse ainda mais.

Assim, Enzo ingressou na família Boca Juniors no dia 2 de agosto de 2022. Adriel destaca que o trabalho com o garoto começou do zero, ensinando-o primeiramente a lidar com a bola, evoluindo para treinamentos completos e, gradualmente, inserindo-o em circuitos e trabalho de finalização. O objetivo era adaptar os treinos para que ele pudesse absorver o máximo possível em pouco tempo.

O jovem Enzo está segurando a bola e acenando com um sinal de positivo. Ele usa o uniforme do Club Atlético Boca Juniors, nas cores azul e amarelo, e sorri. Atrás dele está a sua mãe, à esquerda, e o seu pai, à direita. Em segundo plano, no campo de futebol, há outros alunos da escolinha.

Descrição da imagem #PraGeralVer: Foto colorida, em área externa, com o jovem Enzo segurando a bola e acenando com um sinal de positivo. Ele usa o uniforme do Club Atlético Boca Juniors, nas cores azul e amarelo, e sorri. Atrás dele está sua mãe, Michele Ferreira Calado, à esquerda, e seu pai, Julio Cezar Santos dos Anjos, à direita. Em segundo plano, no campo de futebol, outros alunos da escolinha. (Foto: Divulgação)

Progresso e amizades no futebol

Com uma rápida adaptação, Enzo começou a responder aos comandos em apenas dois meses:

“Nosso coordenador Rodrigo Fagundes sugeriu que devíamos inserir o Enzo no jogo com outros alunos nossos. Começamos dois contra dois, depois três contra três, e gradativamente ele foi evoluindo, começando a participar do treino coletivo do sub-11”, lembra Adriel.

Além de contribuir para o desenvolvimento de habilidades físicas e técnicas, o futebol também oferece um espaço para a socialização e amizade. O progresso de Enzo é emocionante, e ele agora se sente seguro no ambiente do futebol, interagindo com todos os meninos, formando seu próprio time e distribuindo os coletes para os amigos.

Publicidade

“Ele é a imagem que queremos mostrar para nossos outros alunos: sempre alegre, sorridente e disposto a melhorar a cada dia. Não há recompensa maior do que vê-lo feliz e perceber o quanto o futebol é algo extremamente importante para ele”, afirma Adriel.

Michele expressa sua gratidão pela Escola de Futebol Boca Juniors e por tudo o que ela tem proporcionado em suas vidas:

“Sou muito grata pela paciência que eles têm com o Enzo e por incentivá-lo a participar desses torneios. São pessoas muito importantes em nossas vidas, principalmente diante da condição de saúde do Enzo. Ele é apaixonado pelo Adriel, pelo futebol, e estarei sempre aqui para ajudar meu filho da melhor forma possível”.

O próximo sonho de Enzo é assistir a uma partida de futebol dentro de um estádio. Michele reconhece as possíveis dificuldades em relação à agitação e ao barulho do local, mas já está pensando em maneiras de ajudá-lo a superar esse desafio em sua vida.

Sobre a Escola de Futebol Boca Juniors

A Escola de Futebol Boca Juniors, oficialmente vinculada ao Club Atlético Boca Juniors, tem como objetivo unir a raça e a disciplina tática dos argentinos com a técnica e o improviso dos brasileiros. Presente no Brasil desde 2010, a escola inaugurou sua primeira unidade em São Paulo, no bairro da Penha, e atualmente conta com 55 unidades espalhadas pelo país, incluindo unidades em Santos, Guarujá, Praia Grande , onde o Enzo treina, e São Vicente.

A escola tem como proposta promover a saúde e transmitir valores a crianças e adolescentes por meio do futebol, utilizando o esporte como ferramenta de inclusão social, condicionamento físico e motor. Além das turmas regulares, oferece modalidades como Futbaby, Futebol Feminino, Futfralda, Treinamento de Goleiros e Treinamento para Adultos.

A metodologia da Escola de Futebol Boca Juniors combina treinamentos técnicos e táticos com atividades lúdicas de iniciação esportiva, formando atletas completos e preparados não apenas para os campos, mas também para a vida. Os profissionais das escolas passam por capacitações técnicas anuais, buscando constantemente atualizar os conteúdos oferecidos aos alunos, a fim de aumentar o desempenho e o interesse dos jovens pelo futebol.

Um dos eventos de destaque promovido pela escola é a Copa Boca, que ocorre anualmente e conta com a participação de escolas de todo o país. Essa competição oferece uma experiência fantástica, unindo esporte e diversão, proporcionando uma grande vivência aos participantes.

A integração entre as famílias também é valorizada, incentivando a participação de todos em torneios, campeonatos, excursões e até mesmo viagens à Argentina, onde o clube tem estrutura para receber delegações de todo o mundo, promovendo um intercâmbio dentro e fora das quatro linhas.

Embora exista uma limitação legal imposta pela FIFA, que impede menores de 18 anos de deixar seu país de origem para atuarem nas categorias de base do Boca Juniors, a escola promove um evento anual de avaliação técnica, no qual atletas de todo o país são selecionados e convidados a participar de um intercâmbio gratuito de uma semana no clube argentino.

Por meio dessas iniciativas e histórias como a de Enzo, a Escola de Futebol Boca Juniors busca promover o esporte, desenvolver habilidades, estimular amizades e superar limites, tornando o futebol uma ferramenta para a inclusão e o crescimento pessoal de crianças e adolescentes.

Jornalista Inclusivo
Jornalista Inclusivo

Da Equipe de Redação

Deixe um comentário