Curso Pet da Reatech 2022 vai apresentar princípios e métodos da Terapia Assistida por Animais

Foto de pessoa em sessão de demonstração de equoterapia, ilustrando a pauta sobre Curso Pet da Reatech 2022.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Foto colorida, em ambiente interno, ilustrando o Curso Pet da Reatech 2022. A imagem mostra uma pessoa de pele branca, com deficiência, montada no cavalo durante sessão de demonstração de equoterapia, na edição de 2019 da feira. Usa capacete, camisa branca e calça escura. Uma pessoa conduz o cavalo enquanto outra acompanha o paciente. Ao fundo, pessoas assistem a demonstração. No canto esquerdo inferior está a logo da feira Reatech. (Imagem: Edição de arte. Foto: Divulgação/Assessoria)

Curso indicado a terapeutas, estudantes, psicólogos e adestradores que desejam preparar e trabalhar com animais para o contato com pacientes será dia 2 de setembro

Hoje em dia, ninguém se espanta em saber que os animais de estimação são considerados parte da família. Também não é raro saber como os pets ajudam na adaptação de pessoas em diversos cenários adversos, e na recuperação de quadros físicos e mentais.

Nesse contexto, cresce cada vez mais os profissionais de saúde interessados em conhecer mais e praticar a Terapia Assistida por Animais (TAA), na qual diversos tipos de pet atuam como coterapeutas.

Conteúdo do artigo
    Add a header to begin generating the table of contents

    Boa leitura!

    Publicidade

    Curso Pet da Reatech 2022

    Para apresentar aspectos teóricos e práticos da Terapia Assistida por Animais, a Reatech – Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade apresenta o Curso Pet, que acontece no dia 2 de setembro, das 13h30 às 20h. A feira vai de 1º a 4 de setembro no São Paulo Expo.

    Liana Pires Santos, psicopedagoga e diretora da Clínica GATI — Grupo de Abordagem Terapêutica Integrada é uma das organizadoras do curso e apresenta aula abordando histórico, fundamentação e aplicação terapêutica da Terapia Assistida por Animais na área psicomotora.

    Terapia Assistida por Animais

    “A importância da terapia assistida por animais está mais do que comprovada como método. Atualmente, trabalhamos com duas vertentes: a equoterapia, realizada com cavalos, e a ‘pet terapia’, aquela auxiliada por animais como cães, gatos entre outros de menor porte. Hoje, sabemos que, além dos efeitos terapêuticos, esse tipo de atividade reforça o cuidado com os animais e a natureza — o resultado é um grande ganho emocional”, explica a palestrante.

    Outro ponto é a possibilidade de se estar fora do ambiente tradicional, sempre ligado a um consultório. “É um tipo de trabalho que coloca o paciente em outro cenário, o que causa, em conjunto com os animais, uma grande carga de serotonina. O trabalho pode acontecer em parques, casas de repouso e outros espaços abertos para além de clínicas e hospitais”. A serotonina, apelidada de ‘hormônio da felicidade’ ajuda a regular o ritmo cardíaco, do sono, do apetite, do humor, entre outros.

    Foto de criança em cadeira de rodas em contato com um jabuti. Duas mulheres auxiliam a criança.
    Descrição da imagem #PraCegoVer: Foto colorida, em ambiente interno, durante edição da Reatech 2019. A imagem mostra uma criança negra em cadeira de rodas em contato com um jabuti. À esquerda tem uma mulher negra com cabelos pretos longos auxiliando a criança. À direita há outra mulher, branca com cabelos castanhos, segurando o animal próximo à criança. No canto esquerdo inferior está a logo da feira Reatech. (Imagem: Edição de arte. Foto: Divulgação/Assessoria)

    Muito além da equoterapia

    Santos explica que, além de cavalos e pets mais tradicionais, também podem ser empregados roedores e aves da família dos psitaciformes, por exemplo, como calopsitas, agapórnis, maritacas ou papagaios:

    “Cada tipo de animal enriquece a experiência de uma certa forma. Essas aves ‘falantes’ estimulam a comunicação e articulação verbal, o carinho em pequenos mamíferos reforça o vínculo de afeto, os cavalos nos dão sensação de segurança”, exemplifica a terapeuta. 

    Entre os focos do curso estão o trabalho com pessoas com deficiência visual e pessoas dentro do espectro autista. Neste último caso, as atividades com os companheiros caninos registram na literatura especializada resultados expressivos.

    Outros temas durante o curso incluem posse responsável real do animal, a importância do acompanhamento, o papel do psicólogo na TAA, possibilidades de trabalho, entre outros.

    Publicidade

    Reatech 2022

    Organizada e promovida pela Fiera Milano Brasil, a Reatech é considerada a principal feira do setor na América Latina.

    A cada edição reúne cerca de 300 expositores dos segmentos de agências de emprego voltadas para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, instituições financeiras, fabricantes de cadeiras de rodas, departamentos de recursos humanos, indústrias farmacêuticas, indústrias dos segmentos de animais treinados, veículos adaptados, fabricantes de aparelhos auditivos, equipamentos especiais, materiais hospitalares, higiene pessoal, próteses e órteses, terapias alternativas, turismo e lazer.

    Em 2022, a feira acontecerá entre os dias 1º e 4 de setembro. A 17ª edição de Reatech será em um dos novos pavilhões do São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, a fim de atender plenamente as necessidades de seus expositores e visitantes. Serão 4 dias de evento recheados de atividades culturais e sociais, como: equoterapia, teste drive de carros adaptados, quadras poliesportivas, Congresso Reatech, seminários, workshops e oficinas com profissionais renomados.

    Serviço

    17ª Reatech — Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade

    > Data: 1º a 4 de setembro de 2022
    > Horário: Das 13h às 20h nos dias 1º e 2; das 10h às 19h nos dias 3 e 4
    > Local: São Paulo Expo
    > Endereço: Rod. dos Imigrantes, km 1,5 — Vila Água Funda, São Paulo/SP
    > Programação e Inscrições: Através do site da Reatech Brasil neste link

    Jornalista Inclusivo
    Jornalista Inclusivo

    Da Equipe de Redação

    • Siga nas redes sociais:

    Deixe um comentário