Bela Verão 2024: Atividades Acessíveis de Férias no Galpão Bela Maré

Crianças se divertindo em uma piscina inflável, entre as atividades acessíveis de férias no Galpão Bela Maré, do Bela Verão 2024.
Observatório de Favelas, no Rio de Janeiro, apresenta o Bela Verão 2024 com atividades acessíveis de férias: oficinas, exposições e banho de mangueira de janeiro a fevereiro. (Foto: Ramon Vellasco)

A programação gratuita inclui interprete de Libras, educadoras especializadas em acessibilidade e um espaço totalmente adaptado para pessoas com deficiência física.

Rio de Janeiro – O Bela Verão 2024 chega com uma programação inclusiva para todas as pessoas e idades. Realizado pelo Observatório de Favelas, no Galpão Bela Maré, as atividades abrangem experiências culturais, artísticas e poéticas, começando no dia 6 de janeiro. A classificação é livre.

A programação do Bela Verão 2024 oferece uma variedade de eventos, desde leituras e oficinas até exposições e ações poéticas, além do tradicional banho de piscina e mangueira. O objetivo é proporcionar uma experiência divertida durante as férias escolares. Acompanhe programação completa de atividades neste artigo.

Publicidade

Atividades Acessíveis de Férias: Artes Visuais e Musicalidades

Anna Luísa Oliveira, coordenadora do Galpão Bela Maré, revela que a programação deste ano incluirá oficinas de criação de instrumentos e experimentações musicais, com a participação de Fábio Mukanya e do projeto Miscelânea Black.

“Vamos começar o ano de 2024 no Galpão Bela Maré com o programa Bela Verão, esse é um momento de celebração da estação mais quente do ano, onde pretendemos unir refrescância, artes visuais e musicalidades”.

Além disso, Ana destaca a abertura da exposição ‘Na cabaça estão todas as mirongas’, do artista visual Ismael David, com curadoria de Ana V. A exposição apresenta obras de arte interativas para todas as crianças:

“É na Cabaça onde estão todas as mirongas, ou seja, os segredos, e é a partir dela que propomos uma série de atividades artísticas pedagógicas e curatoriais em celebração às infâncias, em confluência com a musicalidade afro-brasileira e indígena. Com muita água, música e artes, convidamos a todas as pessoas, em especial as crianças para estarem com a gente, entre janeiro e fevereiro. São 18 ações diversas, entre elas destacamos a exposição. Fique de olho em nossas redes sociais!”, convida Anna Luisa.

Um grupo de crianças sentadas no chão, ouvindo atentamente duas pessoas sentadas em um banco, em atividade no Galpão Bela Maré.
Descrição alternativa #PraGeralVer: A imagem mostra um grupo de crianças sentadas em tapetes no chão de uma sala com paredes claras. Elas estão focadas em duas pessoas que estão sentadas em um banco à frente delas. As crianças parecem estar ouvindo atentamente. Há uma mesa pequena ao lado das pessoas que estão no banco. (Foto: Romulo Amorim)

Confira a programação do Bela Verão 2024

  • Leitura e Contação: “Olelê Uma Cantiga da África” (06/01 às 15h)

Uma viagem encantadora pela tradição oral africana, compartilhando histórias e cantigas que celebram a riqueza cultural do continente.

  • Oficina de Musicalidades Indígenas e Seus Instrumentos (06/01 às 16h)

Explore os ecos ancestrais em uma oficina que mergulha nos sons e ritmos das culturas indígenas, destacando instrumentos e melodias únicas.

Publicidade

  • Oficina de Slammer e Criação de Versos (12/01 às 14h)

Uma imersão no universo do slam, onde a palavra ganha vida. Participe para expressar emoções e pensamentos por meio da poesia falada.

  • Exposição “Na Cabaça Estão Todas as Mirongas” de Ismael David (20/01 às 14h)

Admire as mirongas representadas nas obras de Ismael David, em uma exposição que promete ser uma viagem visual pelas narrativas contidas nas cabaças.

  • Ação Poética: Banho de Piscina e Mangueira (20/01 às 11h)

Refresque-se em uma poesia aquática, celebrando o verão com uma ação poética que envolve piscina, mangueira e muita criatividade.

  • Oficina Sinfonia do Cotidiano, Brincando com os Sons (17/01 às 15h)

Uma jornada sonora através dos sons do cotidiano, transformando o ordinário em extraordinário por meio de brincadeiras e experimentações musicais.

  • Ação Poética: Minue – Amarelinha Africana e Terra ou Mar? (24/01 às 15h)

Participe de uma amarelinha africana e faça escolhas difíceis entre terra e mar, em uma ação poética que mistura brincadeira e reflexão.

  • Oficina Aquarela Invisível (24/01 às 16h)

Descubra a magia de criar com aquarelas invisíveis, uma oficina que estimula a imaginação e a expressão artística de forma única.

  • Oficina de Discotecagem com Controladora (27/01 às 15h)

Entre no mundo da música eletrônica com uma oficina de discotecagem, utilizando controladoras para criar sua própria trilha sonora.

Publicidade

Bela Verão, uma iniciativa conjunta da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e Observatório de Favelas, é patrocinado pela Icatu e pela Secretaria de Cultura da Prefeitura. Conta com o apoio institucional do Itaú Cultural e do Instituto JCA, além de parcerias com a Automatica e TradinterLab. O evento é realizado pelo Observatório de Favelas.

Serviço

Bela Verão 2024

Onde: Galpão Bela Maré

Endereço: Rua Bittencourt Sampaio, 169, Maré, Rio de Janeiro – RJ.

Informações: Acesse o site do Galpão Bela Maré neste Link .

Entrada gratuita

Classificação livre

Sobre o Galpão Bela Maré

O Galpão Bela Maré , uma iniciativa do Observatório de Favelas em parceria com a Automática, é um centro de arte e cultura que promove a produção, difusão e apreciação das mais diversas formas de expressão artística. Desde a sua inauguração em 2011, tem se destacado como um espaço de referência no Rio de Janeiro para o debate sobre o papel político da arte, especialmente em contextos periféricos.

Sobre o Observatório de Favelas

Fundado em 2001, o Observatório de Favelas  é uma organização da sociedade civil com sede no Conjunto de Favelas da Maré, com atuação em todo o país. Seu trabalho é focado na produção de conhecimento e metodologias que influenciam políticas públicas para as favelas e promovem o direito à cidade.

Com uma equipe composta por pesquisadores e profissionais de áreas populares, a organização se dedica a construir experiências que contribuam para a superação das desigualdades e o fortalecimento da democracia, reconhecendo as favelas e periferias como territórios de potencial e direitos.

Atualmente, o Observatório de Favelas desenvolve programas e projetos em cinco áreas: Arte e Território, Comunicação, Direito à Vida e Segurança Pública, Educação e Políticas Urbanas.

Rafael F. Carpi
Rafael F. Carpi

Jornalista, editor nas iniciativas Jornalista Inclusivo e PCD Dataverso. Formado em Comunicação Social em 2006, foi repórter, assessor de imprensa, executivo de contas e fotógrafo. É consultor em acessibilidade e inclusão, ativista dedicado aos direitos da pessoa com deficiência e redator na equipe Dando Flor.

LinkedIn

Deixe um comentário