Estudo busca 380 cuidadores de idosos com demência para pesquisa online; seja voluntário

Mãos de pessoa idosa segurando bengala ilustrando pesquisa online com 380 cuidadores de idosos com demência. Sobreposição dos nomes da doença de Alzheimer, de Levy, demência vascular, síndromes demenciais e Parkinson.

Descrição da imagem #PraCegoVer: Foto colorida com texto ilustrando pesquisa online que busca 380 cuidadores de idosos com demência. Sobre a imagem aparecem os nomes: Doença de Alzheimer, doença de Levy, demência vascular, síndromes demenciais e Parkinson. Fotografia mostras as mãos de uma pessoa idosa segurando uma bengala, à esquerda. À direita há uma pessoa com jaleco branco segurando o braço e uma mão da pessoa idosa. No canto direito inferior está o logo do grupo de pesquisa Sistemas Cognitivos Artificiais, da Unifesp, com o nome do Twitter @CogsArtificial. (Imagem: Edição de arte. Foto: Freepik. Créditos: Rawpixel)

Importante para desenvolver soluções, a pesquisa busca informações culturais e sociodemográficas de cuidadores (profissionais ou não) e de familiares

O estudo “Quem são as pessoas com Doença de Alzheimer no Brasil? Resultados do Estudo Longitudinal da Saúde dos Idosos Brasileiros (ELSI-Brasil)”, publicado na Revista Brasileira de Epidemiologia , em abril de 2021, diz que cerca de 1 milhão de brasileiros sofrem de demência atualmente – a maioria deles com Alzheimer, doença que acomete 11,5% das pessoas com 65 anos ou mais no Brasil.

Com 100 mil novos casos de Alzheimer a cada ano no País, pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) buscam voluntários para uma pesquisa online com cuidadores e familiares de idosos com síndromes demenciais. Entre essas síndromes, além do Alzheimer, estão a doença de Lewy, demência vascular e da doença de Parkinson.

Conteúdo do artigo
    Add a header to begin generating the table of contents

    Boa leitura!

    CONTINUA APÓS PUBLICIDADE 

    380 cuidadores de idosos com demência

    Esse é o número de cuidadores ou familiares de idosos necessários e fundamental para a colaboração em um estudo inovador no Brasil que está sendo desenvolvido pelo grupo de pesquisa Sistemas Cognitivos Artificiais  (Unifesp), cadastrado no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

    O grupo está realizando o ‘Estudo observacional para avaliação do conhecimento de familiares e cuidadores de idosos sobre comprometimento cognitivo e síndromes demenciais como suporte ao desenvolvimento de sistemas digitais’.

    Esse estudo visa conhecer melhor o perfil atualizado e mais recente de características sociodemográficas e culturais dos cuidadores (familiares e/ou não profissionais) no nosso país e identificar quais são as demandas de informação sobre o tema que mais interessam aos familiares e cuidadores deste grupo de pacientes.

    Soluções para uma melhor qualidade de vida

    O coordenador do estudo, Prof. Dr. Walter Teixeira Lima Júnior, docente do Programa de Mestrado Profissional Interdisciplinar em Inovação Tecnológica da Unifesp e líder do grupo de pesquisa Sistemas Cognitivos Artificiais, explica a importância do estudo:

    “Pesquisas com estas características são consideradas importantes para o desenvolvimento de soluções centradas no paciente e no cuidador, e com essas informações podemos modelar sistema digital que possa ajudá-los na melhora da qualidade de vida, tanto do cuidador quanto da pessoa idosa”, explica Lima Júnior, em resposta à equipe de redação do Jornalista Inclusivo.

    Para essa finalidade foi elaborado um estudo exploratório, devidamente aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa (CEP) da Unifesp, a ser aplicado diretamente aos cuidadores, de forma assíncrona e digital. São necessários 380 cuidadores (profissionais ou não) para, voluntariamente, responderem ao questionário.

    Foto colorida, em ambiente externo, com duas mulheres – uma jovem e outra idosa, sentadas em banco de madeira e olhando para o celular.
    Descrição da imagem #PraCegoVer: Foto colorida, em ambiente externo, com duas mulheres sentadas em banco de madeira. À esquerda está uma mulher jovem, de pele branca e cabelos loiros. Está sorrindo e mostrando a tela do celular para uma idosa ao seu lado. Ela usa blazer rosa e calça jeans. À direita da imagem, a mulher idosa está olhando e apontando para o celular. Tem cabelos grisalhos curtos, pele branca e usa um caso branco de lã. Ao fundo, em segundo plano, um grupo de pessoas e área verde. (Foto: Reprodução/Pexels. Créditos: Andrea Piacquadio)

    Quem pode participar?

    Pode contribuir com a ciência e participar da pesquisa quem é cuidador(a) ou familiar de pessoas idosas com suspeita ou diagnóstico de demência, ou outra condição cognitiva. É necessário residir no Brasil e ter mais de 18 anos de idade.

    Entidades que reúnem ou representam cuidadores também podem colaborar compartilhando esse pedido. “Gostaríamos do apoio das entidades para que possamos atingir o maior número possível de cuidadores”, convida o pesquisador.

    O questionário é totalmente online e pode ser acessado neste link . Dúvidas e esclarecimentos podem ser encaminhados ao e-mail do orientador/coordenador Walter Teixeira Lima Junior .

    Sobre o Grupo SCA

    Programa de Mestrado em Inovação e Tecnologia do Campus SJC – São José dos Campos (Unifesp), o grupo pesquisa o conhecimento envolvido para o desenvolvimento de Sistemas Cognitivos Artificiais no campo da Robótica Social. O escopo científico tem como base a abordagem interdisciplinar, condição fundamental para que um sistema computacional inteligente, dotado de viés cognitivo, possa ser elaborado com o objetivo de fornecer ao ser humano a centralidade nesse processo.

    Entende que é necessária a mudança do paradigma tecnológico na relação entre máquina computacional e ser humano, da master-slave conjecturada pelos cibernéticos para uma interação simbiótica, com o relacionamento sendo realizado de forma síncrona. Para isso, deve-se considerar a modelagem plausível do sistema tendo como base a formalização de aspectos que compõe as funções cognitivas humanas e a adoção da estratégia Metacognitiva.

    Desta forma elabora projetos na área da Human-robot Interaction, visando a adoção da Robótica Social como base dos Sistemas Cognitivos Artificiais e sendo estruturada a partir de plataformas dotadas de Arquitetura Cognitiva.

    Links úteis:

    Walter Teixeira Lima Junior

    Grupo Sistemas Cognitivos Artificiais

    Rafael Ferraz
    Rafael Ferraz

    Rafael F. Carpi (Editor). Comunicador Social desde 2006, foi repórter em jornais impressos e rádio AM, assessor de imprensa e fotógrafo. É tetraplégico e ativista pelos direitos da pessoa com deficiência. Trabalha com conteúdo digital acessível e consultoria em diversidade, equidade e inclusão.

    Todos os posts

    Deixe um comentário

    Este post tem um comentário