fbpx

Enfaixamento Neuro: Você já ouviu falar?

Mulher com deficiência na fisioterapia - Enfaixamento Neuro: Você já ouviu falar?
Descrição da imagem #PraCegoVer: Jaqueline é uma mulher branca de cabelos pretos. Está de costas fazendo treino de marcha em uma rampa, segurando nos corrimões. Tem paralisia cerebral e displasia septo ocular, está com caneleiras com peso, e enfaixamento neuro com a ProWrap para alinhamento biomecânico de membros inferiores. Usa camiseta rosa, shorts azul escuro e tênis cinza. Créditos: Acervo pessoal

Conheça o procedimento que melhora o alinhamento postural na reabilitação neurológica

Fisioterapeuta Neurofuncional Carol Nunes explica de forma clara e didática a técnica que vem se tornando bastante popular na reabilitação neurológica: o enfaixamento neuro

Você já leu ou ouviu a expressão “enfaixamento neuro”? Ela vem se tornando bastante popular quando falamos em reabilitação neurológica para pessoas com deficiência, entre outras. Basicamente é um enfaixamento onde utilizamos essas faixas neuro para o alinhamento. Usamos faixas de diferentes tipos, visando melhorar o alinhamento postural do paciente e fornecer maior input sensorial durante sua movimentação, facilitando a execução dos movimentos e ativações musculares importantes. 

As faixas neuro são altamente indicadas quando queremos promover um melhor alinhamento postural  e biomecânico, input sensorial e estabilizações articulares. Muitos pacientes apresentam dominância musculares importantes, com contrações constantes e involuntárias, que levam seus movimentos para o desalinhamento, e as faixas ajudam a conter essas dominâncias.

Por exemplo, uma criança com marcha em tesoura, nós podemos usar faixas resistentes para restringir a adução de quadril e a rotação medial dos fêmures, diminuindo o “cruzar” de pernas na fase de balanço. Isso auxilia a criança a ter uma marcha mais consistente, com menor gasto energético, velocidade mais funcional e menor risco de quedas. Isso é altamente funcional para ela. Gera muita independência. É um potente aliado na manutenção de alinhamento ideal. 

O enfaixamento no dia a dia

Essas faixas são ideais para usar nas sessões em clínicas, por exemplo, onde o terapeuta consegue alinhar melhor o paciente enquanto orienta seu movimento, mantendo as mãos livres para outros possíveis ajustes, ou auxílios. Mas elas também podem ser usadas em outras ocasiões, como uma extensão da terapia,  reforçando os novos padrões de movimentos treinados com o terapeuta.

Assim, para o paciente passar a maior parte do tempo de sua vida com um alinhamento postural mais adequado, e com movimentação facilitada por todo o dia, as faixas neuro podem ser usadas em ambiente escolar, de trabalho, na rotina diária da casa… em qualquer ocasião em que o paciente se sinta confortável em estar mais estabilizado e alinhado. É realmente um grande aliado na reabilitação. 

Mulher com deficiência na fisioterapia - Enfaixamento Neuro: Você já ouviu falar?
Descrição da imagem #PraCegoVer: A mesma paciente da foto anterior, Jaqueline, dessa vez de frente, e mais perto da câmera. É possível ver em detalhes o enfaixamento neuro em membros inferiores. Créditos: Acervo pessoal

E porque é tão importante que nosso paciente passe a maior parte do tempo de sua vida alinhado? A pergunta parece auto explicativa, mas ainda há muitas dúvidas da grande importância do alinhamento biomecânico.

Na reabilitação existe um ponto que é muito importante e que sempre precisamos levar em consideração, que é o fato de que o corpo se adapta ao histórico de uso. O jeito como usamos nosso corpo, como nos movimentamos, impacta diretamente em nossos músculos, no formato de nossos ossos e em nossa postura. Tanto pro “bem” quanto pro “mal”. 

Podemos dizer que quanto mais tempo passamos naquele alinhamento, mais ele vai se tornando o nosso alinhamento principal. Assim, quanto mais tempo passamos em um ótimo alinhamento, mais o nosso corpo se adapta a viver naquele alinhamento – o qual permite mais movimentos ativos, mais trocas posturais independentes, menos dores e menos deformidades. Por isso é muito importante que nosso corpo se condicione a viver em um bom alinhamento. Isso faz parte da neuroplasticidade. 

Então, resumindo, quando treinamos nosso paciente em clínica em um ótimo alinhamento e ele vai para sua casa ou para sua rotina com esse mesmo alinhamento, ele vai reforçar durante o dia todo o que foi treinado. Isso gera aprendizado motor e adaptação ao uso, possibilitando que os ganhos sejam mais rápidos e mais duradouros.

Fisioterapeuta realiza enfaixamento neuro
Descrição da imagem #PraCegoVer: A fisioterapeuta Carol, autora deste artigo, está ajudando o enfaixamento neuro na paciente Jaqueline. Carol tem pele branca e cabelos castanhos compridos, arramados. Usa jaleco branco, calça e tênis pretos, e máscara hospitalar roxa. Está agachada atrás da Jaqueline, que se segura na barra de apoio da clínica, em frente a um grande espelho. Créditos: Acervo pessoal

Opções e customizações

Existem alguns tipos de faixas neuro, cada uma com uma maior indicação. Mas todas tem aspectos em comum. Portanto, cabe ao terapeuta a tomada de decisão de qual utilizar para aquele determinado alinhamento. 

O melhor alinhamento biomecânico pode ocorrer através de várias formas, de diferentes técnicas e com uso de muitos mobiliários específicos. E tudo isso unido proporciona ao paciente maiores oportunidades de desenvolvimento. Aqui falamos especificamente das faixas, então vamos reforçar o que elas têm de positivo, e o que podem agregar ao uso de outras ferramentas. 

As faixas neuro proporcionam grande intensidade de input somatosensorial. Essa informação sensorial na pele é muito importante no planejamento e organização do movimento. Como as faixas aderem na pele, o input sensorial é alto, por isso observamos grande resposta dos pacientes. É como se o tempo todo em que está “enfaixado”, o cérebro ficasse recebendo orientação de como deve mover nosso corpo, e os comandos chegam mais organizados. 

Descrição do vídeo #PraCegoVer: A paciente Jaqueline está com o enfaixamento neuro em membros inferiores, enquanto utiliza a esteira. Atrás dela está a fisioterapeuta Carol, para sua segurança e orientação. O vídeo foi gravado durante sessão na clínica de fisioterapia. As duas usam máscara hospitalar. Créditos: Acervo pessoal

Além disso, a aderência da faixa na pele também permite que ela não escorregue pelo corpo, e então conseguimos manter o alinhamento postural por um tempo prolongado. Isso também é um aspecto muito positivo, já que o indivíduo não precisará do auxílio de outras pessoas para ficar arrumando suas faixas. 

Outro ponto importantíssimo é a personalização. As faixas neuro podem ser cortadas e customizadas para que se adequem ao tamanho do meu paciente e à sua necessidade. Posso cortá-las de modo a se ajustarem na mão, por exemplo, e criar um enfaixamento que posicione melhor o membro superior e o deixe mais preparado para uma tarefa de coordenação motora fina. Posso deixá-lo mais alinhado para treinar comer com talher, segurar um copo, vestir uma roupa, abotoar um botão, abrir uma porta, dirigir seu carro… uma infinidade de possibilidades de se usar a mão funcionalmente e com maior autonomia e melhor desempenho. E também com menor gasto energético. 

Produtos utilizados em enfaixamento Neuro

Fácil de aplicar e empodera: Veio pra somar!

Uma vez decidido qual o melhor posicionamento e a melhor faixa, o terapeuta pode facilmente orientar a família sobre como aplicar o enfaixamento em casa, para que o alinhamento seja contínuo, e não apenas nos dias de terapia. Isso é muito importante, principalmente se pensarmos que a maioria dos pacientes não tem acesso as terapias intensivas, ou terapias diárias. Muitas vezes são sessões semanais. E se acreditamos que o corpo responde ao histórico de uso, e que meu paciente precisa usar de forma contínua e com grande intensidade, eu preciso empoderar a família, torná-la protagonista da intervenção. Para que ele esteja alinhado por todos os dias, independente de sessões de terapia. 

O enfaixamento neuro e o melhor alinhamento postural também podem replicar o funcionamento das propriedades dinâmicas dos músculos, como resistência, alongamento e força. E assim facilitando e organizando o movimento correto. Auxiliam no desenvolvimento da marcha, facilitando transferências de peso e alinhamento de membros inferiores para uma marcha mais eficiente. Podem prevenir deformidades ósseas e musculares.

Quando possibilitamos que nosso paciente se mantenha alinhado, também proporcionamos que ele mantenha seus músculos em um melhor comprimento e suas articulações sem sobrecarga, o que ajuda a reduzir encurtamentos musculares e futuras deformidades ósseas e articulares. 

As faixas neuro vem ganhando espaço entre os terapeutas e se mostrando uma ferramenta muito positiva e muito querida. Ela veio pra somar. Para agregar mais dinâmica e agilidade ao se movimentar. Sempre com o nosso objetivo final e geral, que é o de garantir a maior participação do meu paciente em todas as áreas da sua vida! Seja na sua comunidade e em qualquer segmento que ele queira estar presente. Porque afinal, participar importa. 

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Carol Nunes
Carol Nunes

Formada em Fisioterapia pela Unesp, Ana Carolina Navarro Nunes tem especialização Neurofuncional com enfoque Neuropediatrico. É coordenadora do setor Neurofuncional da clínica Fisiocenter, em Itu (SP), onde também atende como Fisioterapeuta. Aqui no site Jornalista Inclusivo ela é responsável pelo espaço "Sem Filtro & Com Afeto".

Todos os posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa Cookies

Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. 

Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies e nossa Política de Privacidade.