fbpx

Síndrome pós-COVID-19: Novo estudo e tratamentos prometem ajudar pacientes

Pessoa de pele branca em área externa posiciona máscara de proteção em seu rosto, ilustrando a síndrome pós-COVID-19
Descrição da imagem #PraCegoVer: Foto colorida, em área externa, ilustra estudo e tratamentos para síndrome pós-COVID-19. Pessoa de pele branca e cabelos castanhos, com luzes, leva as mãos ao rosto para posicionar a máscara hospitalar de proteção. Seus cabelos estão amarrados atrás da cabeça e usa caso de frio em tons claros. Créditos: Foto de EVG Culture/ Pexels

Utilize os recursos de Acessibilidade Digital da EqualWeb clicando no botão redondo flutuante, na lateral esquerda. Para a tradução em Libras, acione a Maya, tradutora virtual da Hand Talk , no ícone quadrado à direita. Para ouvir o texto com Audima utilize o player de narração abaixo.

Dr. Greg Vanichkachorn fala sobre os efeitos e sintomas da covid longa

Segundo o especialista, estudo e tratamentos da síndrome pós-COVID-19 podem ajudar os pacientes com sintomas que podem durar três meses ou mais após a infecção aguda

A ‘COVID de longa duração’, ‘COVID longa’ e ‘síndrome pós-COVID ’ são as referências para os pacientes infectados com a COVID-19  e que ainda estão sentindo os efeitos e sintomas de longo prazo . No entanto, novo estudo e tratamentos prometem ajudar essas pessoas.

“As estimativas demonstram que 10% a 30% das pessoas infectadas com a COVID-19 acabarão ficando com a COVID de longa duração”, afirma o Dr. Greg Vanichkachorn , diretor médico do Programa de Reabilitação de Atividades da COVID  da Mayo Clinic. “E parece que a COVID de longa duração pode ser uma nova infecção crônica para algumas pessoas e uma nova referência”. 

Recentemente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) ofereceu a primeira definição clínica para a síndrome pós-COVID. “Ela indica que os pacientes devem ter sintomas com duração de três meses ou mais após a infecção aguda,” afirma o Dr. Vanichkachorn. “Se alguém tiver sintomas de COVID de longa duração em que a evolução não esteja indo na direção certa, recomendo que os pacientes busquem cuidados médicos o mais cedo possível”.

Foto do Dr. Greg Vanichkachorn, responsável por estudo sobre a síndrome pós-COVID-19.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Foto colorida, em área interna, do especialista Dr. Greg Vanichkachorn. Homem jovem, de pele parda, cabelos grisalhos e óculos de grau. Está sorrindo e usa camisa branca, gravata azul marinho com listras prateadas e paletó escuro. Créditos: Reprodução/MayoClinic.org

O Dr. Vanichkachorn diz que os pesquisadores estão apenas no início do aprendizado sobre as mudanças bioquímicas ocorridas no corpo que podem levar a alguns dos sintomas sentidos pelos pacientes. 

“Algumas pessoas podem ter sintomas  mínimos, como falta de ar contínua, algo que pode ocorrer após uma infecção da COVID-19. Algumas pessoas podem ter um pouco de confusão mental, enquanto em outras pessoas, os sintomas podem ser bastante graves. Elas podem ter falta de ar a ponto de precisarem permanecer com o oxigênio por vários meses após a infecção, ou não serem capazes de realizar algumas das atividades básicas da vida, como caminhar pela casa, tomar um banho e assim por diante.”

Quanto à compreensão e a determinação de novos sintomas associados à síndrome pós-COVID, ele afirma:

“O problema com a COVID de longa duração é que ela é muito nebulosa e ainda não há critérios para diagnósticos específicos”

Esperança para tratamentos futuros

Juntamente com o Programa de Reabilitação de Atividades da COVID, o Dr. Vanichkachorn trabalha com pacientes em um programa distinto, chamado Clínica de Tratamento Pós-COVID , que foi concebido para ajudar as pessoas que estão mais distantes da infecção inicial. Ele afirma que embora exista muito trabalho pela frente, os avanços estão sendo feitos e os pacientes não devem perder a esperança. 

Foto de diversas pessoas usando máscara e caminhando.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Foto colorida, em área externa, mostra a movimentação de dezenas de pessoas distintas. Todas usam máscara de proteção e roupas de frio. Créditos: Foto de Anthony Wallace/AFP/Getty Images

“Existe a possibilidade de encontrarmos alguns tratamentos muito eficazes para prevenir a COVID de longa duração e tratar os pacientes que estão sofrendo com a doença”, afirma o especialista. “Apesar de podermos estar em um cenário de adaptação e gerenciamento de sintomas neste momento, o cenário pode ser muito melhor no futuro”.

Ele lembra que os pacientes devem solicitar ajuda, caso necessitem. “Para continuar garantindo que esta condição não seja negligenciada, não tenha medo de receber tratamento se você estiver tendo sintomas. Não tenha medo de fazer a melhor escolha para si mesmo”.

A prevenção pode começar com a vacinação  e a prática dos protocolos de segurança.

“A melhor maneira de evitar a COVID de longa duração é não ser infectado pela COVID-19. E a melhor maneira para não perder o rumo durante a pandemia de COVID-19 é, em primeiro lugar, ser vacinado, e continuar com todas as precauções sanitárias, como o distanciamento social, a higienização das mãos e o uso de máscaras”.

Leia o estudo, em inglês, do Dr. Vanichkachorn sobre a síndrome pós-COVID-19 .

SOBRE A MAYO CLINIC

Mayo Clinic  é uma organização sem fins lucrativos comprometida com a inovação na prática clínica, educação e pesquisa, fornecendo compaixão, conhecimento e respostas para todos que precisam de cura. Visite a Rede de Notícias da Mayo Clinic  para obter mais informações sobre a Mayo Clinic. 

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Jornalista Inclusivo

Jornalista Inclusivo

Da Equipe de Redação JI
Editor responsável (MTB: 0089466/SP)

Todos os posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa Cookies

Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. 

Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies e nossa Política de Privacidade.