3º Festival Cine Inclusão dá protagonismo aos idosos

Banner de divulgação com o nome 3º Festival Cine Inclusão, com uma mão segurando um câmera filmadora.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Arte oficial com sobreposição do nome “3º Festival Cine Inclusão”. Na lateral esquerda da ilustração aparece a silhueta de uma mão segurando uma câmera filmadora, de onde surge o título do evento. No canto direito inferior, os ícones do Instagram e do Facebook, com os respectivos endereços @cineinclusao e /festivalcineinclusao. Como plano de fundo, uma parede com rachaduras e o reflexo em cores de um faixo de luz. Créditos: Divulgação

Terceira idade é tema de Festival e tem programação 100% online na edição 2021

Grande dama da dramaturgia e primeira referência para artistas negros na TV brasileira, a atriz Ruth de Souza será homenageada na abertura do 3º Festival Cine Inclusão

Entre os dias 18 e 24 de outubro (de segunda a domingo), acontece a 3ª edição do Festival Cine Inclusão, que apresenta filmes realizados e/ou protagonizados por pessoas com mais de 60 anos e realiza uma oficina para a inclusão digital de idosos. O acesso a toda a programação é grátis pelo site do evento .

Publicidade

O projeto – idealizado e dirigido por Daniel Gaggini, produzido pela MUK e viabilizado pelo ProAC LAB – consolida-se como o único festival de curta-metragem que se dedica exclusivamente a essa faixa etária. Segundo o idealizador, “esta é uma camada crescente da população que, em sua maior parte, continua ativa e produtiva, sendo fundamental um novo olhar sobre o envelhecimento e todas as questões que se relacionam a esse processo”.

Na abertura, o evento faz homenagem à atriz Ruth de Souza, primeira mulher negra a protagonizar uma novela, que completaria 100 anos em 2021, 74 dos quais dedicados ao teatro, ao cinema e à televisão. A reverência inclui exibição do curta-metragem ‘A Mãe e o Filho da Mãe’, de Luiz Antonio Pilar, e uma live com participação do diretor do filme e do biógrafo da atriz, Ygor Kassab, para falar de sua carreira e luta pelo protagonismo negro.

Arte do Festival Cine Inclusão, com informações sobre a abertura, detalhadas na legenda.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Arte oficial com sobreposição do logo do evento “3º Festival Cine Inclusão”, na lateral esquerda da ilustração. Na lateral direita, mais informações. Texto: Sessão de abertura. Homenagem a Ruth de Souza. Por sua luta pelo protagonismo negro e por seu centenário. Exibição do curta “A mãe e o filho da mãe”, de Luiz Antônio Pillar. 18/10 – 18h. @cineinclusao, /festivalcineinclusao. Créditos: Reprodução/site

O festival é composto por duas mostras. A Mostra Competitiva exibe 16 curtas-metragens, na qual o voto do público vai eleger os três melhores filmes, que receberão prêmios de R$ 3.000, R$ 2.000 e R$ 1.000, respectivamente. Todos os filmes trazem a temática da terceira idade e/ou têm pessoas idosas como protagonistas. Já a Mostra Melhor Idade exibe oito obras dirigidas por pessoas com mais de 60 anos, traçando um panorama expressivo de artistas profissionais e amadores que se dedicam à produção audiovisual.

Cena da produção "A Volta para Casa", com o autor Lima Duarte, descrito na legenda.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Fotografia é uma cena da obra “A Volta Para Casa”, pela mostra Competitiva. Na imagem está o ator Lima Duarte, homem calvo, com pele branca, barba e bigode grisalhos. Ele está de um automóvel, como passageiro. Usa terno, camisa e gravata. Créditos: Divulgação

A curadoria desta edição é do cineasta Victor Fisch e da pesquisadora e curadora Luciana Rossi. A programação eleita abre um leque de temas e reflexões, entre os quais: solidão, sexo, amor, arte e esporte na velhice, memórias e abandono. O público vai desfrutar da diversidade de estilos (ficção, drama, documentário, animação, arte) e apreciar produções primorosas – algumas delas com nomes importantes das artes cênicas do Brasil – como Lima Duarte, Osmar Prado, Lilian Blanc, Walter Breda e Marcélia Cartaxo – e oriundas de Portugal.

Ator Osmar Prado, homem calvo, branco, em cena de filme do Cine Inclusão.
Descrição da imagem #PraCegoVer: Imagem é uma cena da produção “Um Café e Quatro Segundos”, pela mostra Melhor Idade. Na cena aparece o ator Osmar Prado , homem calvo de pele branca. Está sorrindo e usa casaco marrom. Créditos: Divulgação

Como atividade paralela, acontece a oficina online ‘Desmistificando as Redes Sociais para a Terceira Idade’, dedicada a pessoas com mais de 60 anos, ministrada pela professora Daniele Foltran. A finalidade é orientar os participantes sobre como otimizar o uso do celular e das redes sociais para buscar informações, fazer publicações e interagir com amigos e familiares. Os interessados devem se inscrever pelo site.

“Além de dar visibilidade a filmes dentro deste contexto, o objetivo da terceira edição do Festival Cine Inclusão é propor, por meio da arte, a interação e o intercâmbio de experiências e conhecimento e debater sobre a importância da arte na inclusão sociocultural do idoso”, finaliza Gaggini.

Competitiva Ela que Mora no Andar de Cima Marcelia Cartaxo divulgacao b 3º Festival Cine Inclusão dá protagonismo aos idosos
Descrição da imagem #PraCegoVer: Fotografia é uma cena da filmagem “Ela que mora no andar de cima”, da mostra Competitiva. Na imagem, Marcélia Cartaxo é uma mulher branca de cabelos cacheados curtos. Ela está sentada, olhando para trás. Na frente dela, mesa com máquina de escrever e outros pertences. Créditos: Divulgação

SOBRE O CINE INCLUSÃO

A iniciativa do projeto Cine Inclusão é de Daniel Gaggini, artista e produtor que vem se destacando na realização de projetos dedicados à difusão de iniciativas culturais produzidas em regiões periféricas do Brasil. Em seu currículo, consta a realização da Mostra de Teatro de Heliópolis, o projeto/espetáculo Vira-Latas de Aluguel, o Festival Popular de Cinema de Itapeva e o projeto de capacitação cinematográfica Cine Inclusão.

A primeira edição do Festival Cine Inclusão foi realizada em 2015, contemplando as comunidades de Capão Redondo e Cidade Tiradentes, além do Memorial da América Latina. O evento – que reuniu mais de 400 espectadores, exibiu 26 filmes em 14 sessões gratuitas – capacitou 46 jovens em oficinas de cinema e produziu duas obras audiovisuais. Promoveu ainda um debate com participação dos institutos Criar e Querô e dos projetos É Nóis na Fita e Kaminu Filmes (Colômbia). A segunda edição aconteceu em 2017 nas Comunidades de Heliópolis e Paraisópolis e na Unibes Cultural. Foram exibidos 24 filmes, e 60 idosos moradores dessas regiões participaram das oficinas, que resultaram em dois curtas-metragens produzidos pelos então alunos da terceira idade.

SERVIÇO:

3º Festival Cine Inclusão

• Siga nas redes sociais: