Vacinação e Alzheimer: Existe relação entre imunização e saúde cognitiva?

Enfermeira auxilia paciente idosa dentro de casa. Ilustrando a relação entre imunização e saúde cognitiva. Vacinação e Alzheimer.
Segundo especialistas, estudos sugerem relação entre vacinação e Alzheimer, destacando a importância da imunização para prevenir doenças e proteger a saúde cognitiva. (Foto: Midjourney)

Qual a relação entre vacinação e a doença de Alzheimer? Entenda tudo sobre o tema e cinco dicas para garantir uma imunização adequada.

Você já parou para pensar no papel que a vacinação desempenha na nossa saúde? Além de proteger contra doenças infecciosas, estudos recentes sugerem que a vacinação também pode reduzir o risco de desenvolver a doença de Alzheimer, uma das formas mais comuns de demência. A médica e diretora clínica Dra. Marcela Rodrigues e o médico e diretor técnico Dr. Marco César Roque, da Salus Imunizações, explicam a relação entre vacinação e demência, destacando a importância da imunização para prevenir doenças e proteger a saúde cognitiva.

Neste artigo

Boa leitura!

Publicidade

O que é a doença de Alzheimer?

Antes de mergulharmos na relação com a vacinação, vamos entender o que é a doença de Alzheimer. Trata-se de uma condição neurodegenerativa progressiva que afeta a memória, o pensamento e o comportamento. Caracterizada por depósitos de substâncias no cérebro e desequilíbrios químicos, a doença de Alzheimer é uma das principais causas de demência em todo o mundo. Com o envelhecimento da população, o impacto dessa doença tem se tornado cada vez mais relevante.

A importância da vacinação na prevenção de doenças

“A vacinação é uma das maiores conquistas da medicina moderna. Ela permite que nosso sistema imunológico se prepare e desenvolva defesas contra agentes infecciosos, prevenindo o surgimento de doenças graves. As vacinas atuam estimulando nosso sistema imunológico a reconhecer e combater especificamente os patógenos que causam doenças, como bactérias e vírus”, destaca o Dr. Marco César Roque.

A Dra. Marcela Rodrigues explica que, ao recebermos uma vacina, nosso corpo produz uma resposta imunológica, gerando anticorpos que nos protegem contra futuras infecções. Dessa forma, a vacinação não apenas reduz as chances de contrairmos doenças infecciosas, mas também contribui para a proteção coletiva, evitando a disseminação desses agentes patogênicos na comunidade.

Imunização e saúde cognitiva: A relação entre vacinação e Alzheimer

A relação entre vacinação e doença de Alzheimer despertou o interesse de pesquisadores em todo o mundo. Estudos têm explorado a possibilidade de que a imunização contra certas doenças infecciosas possa ter um efeito protetor contra o desenvolvimento da doença de Alzheimer .

Pesquisadores da Universidade do Texas conduziram uma análise abrangente, examinando dados de vacinação e incidência de demência em um grande grupo de adultos. Os resultados foram surpreendentes: os adultos que estavam em dia com a vacinação, especialmente contra tétano e difteria, apresentaram uma redução significativa de 30% na incidência da doença de Alzheimer em comparação com aqueles que não receberam a vacina. Além disso, a vacina contra herpes-zóster mostrou uma redução de 27% no risco de desenvolvimento da doença.

Mulher negra em um jaleco branco de laboratório e luvas azuis segurando um tubo de ensaio. Ilustrando a relação entre imunização e saúde cognitiva. Vacinação e Alzheimer.
Descrição alternativa #PraGeralVer: Imagem de uma pessoa negra em um jaleco branco de laboratório e luvas azuis segurando um tubo de ensaio. A pessoa está usando máscara e está em pé em frente a uma bancada de laboratório com uma fileira de tubos de ensaio ao fundo. (Foto: Midjourney)

Mas como a vacinação pode estar relacionada à doença de Alzheimer? Existem algumas teorias que sugerem que processos inflamatórios crônicos no cérebro, que são base patológica da doença de Alzheimer, podem ser influenciados pela imunidade das pessoas. As vacinas, ao estimularem uma resposta imunológica adequada, podem ajudar a modular esses processos inflamatórios, reduzindo o risco de desenvolvimento da doença.

Publicidade

A importância de estar com a vacinação em dia

Esses resultados evidenciam a importância de estar em dia com a vacinação, não apenas para prevenir doenças infecciosas graves, como tétano, difteria, coqueluche, herpes-zóster e pneumonia, mas também como uma medida potencialmente preventiva contra a doença de Alzheimer. A imunidade proporcionada pelas vacinas pode desempenhar um papel crucial na redução dos processos inflamatórios associados à doença e no depósito de substâncias no cérebro característico do Alzheimer.

O Dr. Marco César Roque comenta que, além disso, a vacinação traz benefícios individuais e coletivos. Ao recebermos as vacinas recomendadas para nossa faixa etária, estamos contribuindo para a proteção de nossa saúde e também para a saúde da comunidade em que vivemos. A imunização em massa cria uma barreira de proteção, reduzindo a circulação de agentes patogênicos e protegendo aqueles que são mais vulneráveis, como idosos e pessoas com sistemas imunológicos comprometidos.

5 dicas para garantir uma vacinação adequada

A fim de garantir uma vacinação adequada e desfrutar dos potenciais benefícios na prevenção de doenças e redução do risco de Alzheimer, aqui estão algumas dicas úteis:

1. Mantenha-se informado: Esteja ciente das vacinas recomendadas para sua faixa etária e converse com seu médico sobre as opções disponíveis. Mantenha-se atualizado sobre as últimas informações e orientações.

2. Cumpra o calendário de vacinação: Siga rigorosamente o calendário de vacinação recomendado pelas autoridades de saúde. Certifique-se de receber as doses de reforço necessárias para manter sua imunidade ao longo do tempo.

3. Esteja atento às vacinas específicas para pessoas idosas: Além das vacinas regulares, existem vacinas direcionadas especificamente para idosos, como a vacina contra herpes-zóster e a vacina pneumocócica. Consulte seu médico para saber se você pode se beneficiar delas.

Publicidade

4. Mantenha registros atualizados: Mantenha um registro atualizado de suas vacinas para facilitar o acompanhamento e garantir que você esteja em dia com as doses recomendadas.

5. Promova a conscientização: Compartilhe informações sobre a importância da vacinação com sua família, amigos e comunidade. Contribua para a conscientização sobre a prevenção de doenças e o impacto positivo da imunização.

“Portanto, não subestime o poder da vacinação. Faça sua parte, proteja-se e ajude a construir uma comunidade mais saudável e resiliente. A vacinação é uma escolha inteligente e responsável, capaz de fazer uma diferença significativa na sua vida e na vida daqueles ao seu redor. Não deixe de se vacinar e compartilhe essa mensagem vital com todos à sua volta. Juntos, podemos promover a saúde e combater a doença de Alzheimer”, finaliza a Dra. Marcela Rodrigues.

Sobre as Fontes

Marcela Rodrigues, Diretora da Salus Imunizações, é médica com graduação e residência em dermatologia pela Faculdade de Ciências Médicas de Santos, com 25 anos dedicados à área da saúde. Além disso, é membra ativa da Sociedade Brasileira de Dermatologia, da Sociedade Brasileira de Imunização e da Associação Brasileira de Melanoma.

Marco César Roque, Diretor Técnico da Salus Imunizações, é médico formado pela Faculdade de Ciências Médicas de Santos e possui residência em Neurologia Pediátrica pelo Hospital do Servidor Público Estadual (IAMSPE). É responsável pelo setor de Neurologia Pediátrica no Grupo Santa Joana e é membro da Sociedade Brasileira de Neurologia Infantil. Atua como preceptor no programa de Residência Médica do Hospital Municipal Infantil Menino Jesus (PMSP).

Picture of Jornalista Inclusivo
Jornalista Inclusivo

Da Equipe de Redação