Conheça recursos de acessibilidade da Alexa para pessoas com deficiência

Foto do dispositivo Echo Dot (4ª geração) com luzes azuis ao fundo, o nome Amazon Alexa e a palavra “Acessibilidade”. (Recursos de Acessibilidade da Alexa para PcDs).
Recursos de acessibilidade da Alexa – a assistente virtual da Amazon.
(Imagem: Edição de arte. Foto: Pexels/Jonathan Borba)

Skills de acessibilidade e dispositivos de casa inteligente facilitam o dia a dia com a assistente virtual da Amazon

Celebrando o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, em 03 de dezembro, a Amazon anuncia página de acessibilidade da assistente virtual Alexa , explicando os recursos que promovem mais autonomia para as pessoas através da inteligência artificial (IA). Data também é celebrada com uma série de vídeos  protagonizados por pessoas com deficiência que utilizam a tecnologia por voz no dia a dia.

Conteúdo do artigo
    Add a header to begin generating the table of contents
    Scroll to Top

    Boa leitura!

    Publicidade

    Assistente virtual da Amazon

    A famosa Alexa, inteligência artificial por voz criada pela Amazon, já faz parte da vida de muitas pessoas com deficiência e também de profissionais que atendem a este público, como facilitadora e aliada em diversas atividades.

    A tecnologia de Alexa atua nas rotinas de pessoas com deficiência visual ou motora, por exemplo, que passam a solicitar ações usando apenas a voz. Para pessoas com habilidades cognitivas reduzidas, a inteligência artificial funciona como estímulo e também como assistente para lembrar de tarefas como tomar um remédio ou ligar para um familiar, entre outras.

    > Voltar ao índice


     

    Recursos de acessibilidade da Alexa

    Alexa se torna cada dia mais parte da vida dos adeptos da tecnologia, seja perguntando sobre o clima, automatizando tarefas, informando as notícias, fazendo anotações, lembretes e muito mais.

    A conexão com dispositivos de casa inteligente compatíveis com a assistente permite que tarefas como acender ou apagar as luzes ou ligar ou desligar o ar condicionado se tornem mais cômodas e autônomas. Tarefas que exigem deslocamento e mobilidade física, passam a ser possíveis apenas com o comando de voz.

    Atualmente, existem “Skills” – aplicativos de voz – que ajudam na acessibilidade, como é o caso das finalistas do Prêmio Alexa de Acessibilidade:

    “Arte Além da Visão”, que foi criada para dar a pessoas com restrições visuais acesso fácil para apreciar pinturas; “Memória Sonora”, jogo focado em reabilitação cognitiva; e “Onde guardo isso?”, que visa auxiliar pessoas a lembrarem onde seus objetos foram guardados.

    > Voltar ao índice


     

    Alexa para pessoas com deficiência

    No site da Amazon, a página com instruções de acessibilidade apresenta os recursos da assistente virtual com o vídeo de uma jovem com trissomia do cromossomo 21 (síndrome de Down), interagindo com a Alexa nas atividades matinais.

    É possível descobrir os caminhos para a acessibilidade nas categorias “Mobilidade”, com controle de voz para realização tarefas; “Visão”, para descobrir novas maneiras de obter informações; “Fala”, que permite obter ajuda de Alexa sem usar a fala; e “Audição”, como controle de voz para criar mais possibilidades de realizar tarefas.

    > Voltar ao índice


     

    Garota negra com trissomia do cromossomo 21 está sentada à mesa no café da manhã e interagindo com recursos de acessibilidade da Alexa.
    Descrição da imagem #PraCegoVer: Garota negra com trissomia do cromossomo 21 está sentada à mesa no café da manhã. No canto direito inferior, o dispositivo Echo Show, da Amazon, mostra o lembrete: “Não esqueça de comer sua fruta e pão”. Balão de diálogo mostra a frase: “Alexa, bom dia”. (Imagem: Edição de arte. Foto: Reprodução/ YouTube Amazon)

    Mobilidade

    A conexão com os mais de 750 dispositivos compatíveis com Alexa torna mais fácil atividades do dia a dia. Com esses dispositivos, é possível criar Rotinas (uma forma de Alexa executar uma série de ações automaticamente), onde é possível, através de um comando de voz ou gatilho, acender e apagar as luzes, trancar as portas e ligar o ar-condicionado, por exemplo.

    Visão

    Existem recursos que facilitam o uso dos dispositivos Echo para pessoas cegas ou que possuem baixa visão. Alexa pode ler os livros da biblioteca Kindle, por exemplo. Para isso, basta pedir “Alexa, leia meu livro Kindle”.

    O comando “Alexa, onde está meu celular?” também pode ser muito útil para pessoas com deficiência visual encontrarem seus dispositivos em casa. Para isso, tanto o dispositivo quanto o celular devem estar logados na mesma conta

    É possível criar listas de compras através de Alexa e compartilhá-las para tornar a rotina ainda mais fácil. Os clientes podem usar a voz para criar e acessar suas listas de compras em qualquer dispositivo Echo e no aplicativo Alexa no smartphone.

    Outra comodidade prática e bastante utilizada nos leitores de tela de pessoas cegas é o Modo Resposta Curta. Essa forma de configurar os dispositivos Echo permite que Alexa use sons rápidos para confirmar que ouviu uma solicitação.

    Audição

    Os clientes com perda auditiva podem definir o ritmo de conversação preferido, caso Alexa esteja falando muito rápido ou muito devagar. Para isso, basta pedir “Alexa, fale mais devagar”, “Alexa, fale mais rápido”, ou “Alexa, fale na velocidade padrão”.

    Quem possui perda total ou parcial da audição pode selecionar a opção das Legendas para realizar chamadas de vídeo legendadas em dispositivos da família Echo Show, definindo tamanho, cor, fonte e outras características de sua escolha (recurso disponível em português, inglês, espanhol e francês), para ver vídeos ou para transcrever tudo o que Alexa fala.

    Fala

    Já o recurso Toque e Ative permite que as pessoas interajam com Alexa usando toque ao invés de voz nos dispositivos da família Echo Show. Existe ainda a opção de pedir comandos para Alexa através do aplicativo sem usar a voz, apenas digitando o comando. 

    Segurança e privacidade

    Todos os dispositivos Amazon, incluindo a família Echo e Fire TV, são projetados com a privacidade em mente. Em dispositivos com Alexa, há controle de microfone, capacidade de visualizar, excluir gravações de voz, entre outras. Para saber mais sobre os recursos que fornecem transparência e controle sobre sua experiência com Alexa, acesse a página sobre a Política de Privacidade de Alexa neste link .

    > Voltar ao índice


     

    Histórias com Alexa

    As “Histórias com Alexa” foram criadas pensando em dar mais visibilidade para o tema da acessibilidade, com histórias de clientes reais que utilizam a tecnologia de Alexa no dia a dia, mostrando como a inteligência artificial pode facilitar e agregar à vida das pessoas.

    Uma delas é sobre o fundador do Guia de Rodas Bruno Mahfuz , que usa cadeira de rodas há 21 anos, depois de um acidente de carro que o deixou paralisado da cintura para baixo. Mesmo com boa autonomia e independência, ele mostra como facilita seu dia com a IA da Amazon para abrir e fechar cortinas, acender e apagar as luzes e controlar outros dispositivos de casa inteligente compatíveis com Alexa.

    As outras histórias da série estarão disponíveis no canal do YouTube Alexa Brasil  e nas redes sociais de Alexa no Instagram @alexa_BR  e no Twitter @alexaBR . Além disso, foi lançada no canal do YouTube Alexa Brasil uma playlist de vídeos acessíveis  com dicas de configuração de Alexa e como usar outros recursos.

    Promovendo acessibilidade nas redes sociais, os posts do Instagram de Alexa passam a contar com descrição de imagem para que pessoas com deficiência visual possam ver e acompanhar as mensagens de Alexa.

    A Amazon Brasil convida a todos a compartilharem suas histórias postando nas redes sociais com a #HistóriasComAlexa e inspirar outras pessoas. Para saber mais sobre o dispositivo e as Skills acessíveis, acesse o Portal de Acessibilidade Alexa neste link .

    > Voltar ao índice


     

    Rafael F. Carpi
    Rafael F. Carpi

    Jornalista, editor nas iniciativas Jornalista Inclusivo e PCD Dataverso. Formado em Comunicação Social em 2006, foi repórter, assessor de imprensa, executivo de contas e fotógrafo. É consultor em acessibilidade e inclusão, ativista dedicado aos direitos da pessoa com deficiência e redator na equipe Dando Flor.

    LinkedIn

    Deixe um comentário